Caro leitor,

Talvez você esteja pessimista com a economia brasileira.

Garanto que não é o único.

Parece que estamos próximos do apocalipse…

É preciso que você enxergue a realidade de forma mais clara.

Estamos diante de uma oportunidade de ouro.

Esta é a hora H da Bolsa.

O momento exato para se posicionar na Bolsa e ter a chance de multiplicar o seu capital em 2x, 3x, 4x…

Um movimento que, feito uma única vez, e no instante certo, pode mudar seu padrão de vida para sempre.

Todos os estudos de Felipe Miranda, nosso estrategista-chefe, apontam nessa direção…

Quando todos estão pessimistas é justamente o momento para nos posicionarmos com paciência.

Uma situação bem parecida ocorreu há menos de dois anos e trouxe excelentes lucros aos nossos assinantes.

Só que agora, com os fundamentos da economia mais organizados, os ganhos têm tudo para ser ainda maiores.

Mas é preciso alertar: trata-se de algo que acontece raríssimas vezes.

A maioria das pessoas infelizmente não tem uma chance destas ao longo da vida.

O Felipe estuda o comportamento dos mercados há 15 anos e sabe reconhecer a hora H de uma oportunidade de ganhar dinheiro.

Ao lado do time de analistas da Empiricus, ele avaliou o quadro de forma ampla, considerando variáveis econômicas, políticas e empresariais.

Fez um levantamento completo com foco em identificar as recomendações que mais vão se beneficiar desta conjuntura.

Com a situação mais clara e todos os elementos postos no tabuleiro, o Felipe cumpre seu dever de orientar seus leitores e assinantes.

Ele quer que o maior número de pessoas tenha acesso a essa oportunidade, tamanho o benefício que está embutido.

Todos ganharemos com ela.

Nas próximas linhas, mostraremos os argumentos que deixaram todos aqui na Empiricus convictos de que a hora para investir na Bolsa é agora.

É como uma janela que se abre para trazer os maiores retornos possíveis a um investimento.

E, acima de tudo, indicaremos como você pode ganhar dinheiro com essa oportunidade.

O que vamos revelar aqui é algo realmente importante.

E que quase a totalidade do mercado financeiro e da imprensa está ignorando.

Para provar este ponto, a Empiricus vai assumir o mais alto grau de comprometimento possível.

O objetivo é deixá-lo plenamente confortável para aproveitar a oportunidade.

Esta proposta traz o envolvimento de toda a equipe Empiricus.  

  1. Vamos apresentar uma oportunidade de investimento que, feita apenas uma vez, corretamente, e no momento exato, pode mudar seu padrão financeiro para sempre.
  2. Se você não lucrar com essa oportunidade em 12 meses, a Empiricus se COMPROMETE a fornecer o relatório Palavra do Estrategista, de autoria do Felipe Miranda, PARA SEMPRE, COM TODOS OS CUSTOS COBERTOS.

Neste caso especial, a Empiricus optou por assumir todo o risco, para que você fique plenamente confortável na sua decisão.

Isso porque sei que o que vou dizer aqui foge do senso comum.

Se a oportunidade der certo (o que todos os indícios apontam), você terá um lucro substancial em 12 meses.

Caso contrário, se ela não se mostrar lucrativa neste período, você terá acesso ao relatório Palavra do Estrategista pelo resto da vida.

Percebeu o alcance desse compromisso?

Trata-se de algo que impacta a base de custos da empresa, envolvendo frutos de anos de trabalho.

Talvez você ainda não conheça o Palavra da Estrategista…

É o relatório mais lido do mercado brasileiro, com 107.534 assinantes pagos.

Trata-se do best-seller da Empiricus.

Por isso, a oportunidade capaz de multiplicar seu patrimônio será detalhada em seus relatórios.

Além disso, é exatamente esse conteúdo que estamos colocando como seguro nesta carta-convite.

Em números, esse seguro envolve um valor de R$ 3.200.000,00 para a empresa.

No decorrer deste texto, explicaremos por que esse montante foi colocado em risco, nesta aposta empresarial.

“Temos uma bazuca em mãos”, diz Felipe Miranda.

A Empiricus tomou essa decisão porque nosso estrategista-chefe tem a convicção de que estamos na Hora H para aproveitar o melhor desta oportunidade.

Algo que pode render muito dinheiro para a nossa base de leitores…

Mesmo com toda essa crise política?

Com o Temer correndo o risco sério de ser afastado?

De termos eleição presidencial indireta?

E todos esses políticos corruptos do Congresso?

Sim, para as quatro questões.

Apesar de toda essa onda negativa, estamos diante de condições que tornam este o momento ideal para aproveitar essa oportunidade.

O Brasil vive historicamente grandes ciclos de apreciação de capital, ligados a uma ruptura política.

O problema é que muitos analistas e jornalistas não conseguem enxergar além do que está publicado na imprensa…

Bem diferente dos jogadores de xadrez, capazes de pensar até uma dezena de lances antecipadamente.

Veja o que vem sendo publicado nas editorias de economia dos jornais nos últimos dias.

A Empiricus enxerga o cenário de um outro jeito.

Afinal, somos treinados para ter cérebros de enxadristas.

Olhamos para peões, cavalos, torres e bispos em conjunto antes de fazer qualquer movimento.

E a conjuntura indica que estamos na Hora H da Bolsa.

É o momento de dar o xeque-mate, que poderá fazer seu patrimônio multiplicar por 2x, 3x…

“Nestas situações de dificuldades, em que ninguém mais quer saber do Brasil e da Bolsa, surgem oportunidades para ganhar muito dinheiro.”

A frase é de Felipe Miranda, estrategista-chefe da Empiricus.

Ele a disse publicamente em um evento promovido pela empresa na semana passada.

Assim como agora, ninguém acreditava na Bolsa e no Brasil na virada de 2015 para 2016.

Naquele momento, com as barbaridades da política econômica petista cobrando suas primeiras faturas…

… o pedido de impeachment de Dilma foi aceito no Congresso.

O País vivia o primeiro baque do atual curto-circuito político.

Ninguém acreditava no Brasil e na Bolsa.

Ou melhor, quase ninguém….

Muitos pensam que a tese de maior sucesso da Empiricus foi o Fim do Brasil

Na ocasião, em 2014, nós chegamos a ser processados pelo grupo político da ex-presidente da República.

Talvez o Fim do Brasil tenha sido, de fato, a mais impactante ideia da Empiricus, porque nos tornou conhecidos nacionalmente.

Foi, de fato, uma tese muito polêmica e – o tempo provou – precisa.

E nos deu chance de divulgar mais amplamente nosso projeto de valorizar o investimento da pessoa física.

Só que o nosso grande acerto foi outro.

A tese que trouxe mais lucros para nossos assinantes veio justamente quando ninguém se arriscava a apostar uma mísera ficha no Brasil, no fim de 2015.

A tese Oportunidades de Uma Vida surgiu justamente em um momento semelhante ao de hoje, no final de 2015.

O clima de desconfiança era a tônica entre os especialistas e os jornalistas econômicos – os mesmos de hoje, aliás…

Até aquele momento, a bússola de nossa equipe de análise cobrava proteção de nossos assinantes.

E foi justamente quando todos pensavam o pior, o Felipe e seu time passaram a recomendar Bolsa em busca de multiplicação de patrimônio.

Logo em seguida, o mercado variável mostrou toda a sua força.

Ao longo de 2016 e começo de 2017, a Bolsa Brasileira alcançou resultados extraordinários.

Quem comprou a série Oportunidades de Uma Vida obteve ganhos bastante relevantes.

Dê uma olhada nos seguintes resultados:

Todos esses retornos foram obtidos em intervalo inferior a 2 anos.

Todos superaram (por muito) o desempenho médio das ações no mesmo período.

E foram obtidos a partir de um momento em que ABSOLUTAMENTE ninguém queria saber de ações no Brasil.

Quando não havia um analista sequer recomendando Bolsa.

Veja o que ocorreu com quem investiu na primeira recomendação da série Oportunidades de Uma Vida.

Apenas os lucros proporcionados por essa ação fariam R$ 10.000 no fim de 2015 se transformarem em R$ 28.700 hoje.

R$ 25 mil investidos virariam R$ 71.750,00

R$ 200 mil se tornariam R$ 574.000,00

Você já parou para pensar o que poderia realizar com uma quantia dessas?

Garantir uma educação melhor para os seus filhos, possivelmente no exterior…

Formar um colchão de liquidez que pudesse dar segurança financeira para a sua família nos próximos anos…

Permitir a realização de seus sonhos… a reforma da casa, o carro que sempre desejou, a viagem dos sonhos com a família…

Mais do que gráficos, o melhor é mostrar para vocês depoimentos de quem aproveitou esse momento.

De quem colocou dinheiro no bolso naquela ocasião.

Eles souberam perceber o papel da imprensa de mostrar apenas uma fotografia do dia, sem um olhar aprofundado.

E entenderam que o pessimismo nas manchetes camuflava lucros escondidos na Bolsa – e decidiram se posicionar na hora certa.

Obrigado, Rodolfo.

Você conseguiu surfar boa parte dessa onda.

Valeu, Adilson.

Coragem, sempre.

Repito. A independência em relação aos bancos e à imprensa nos permite enxergar cenários de maneira mais abrangente.

Obrigado, Afonso.

Nunca é demais repetir: esse ciclo de valorização foi disparado quando quase ninguém dava a mínima para o Brasil e para a Bolsa.

Quase todos repetiam os mesmos mantras:

Segurança, segurança, segurança…

O Brasil vai quebrar, o Brasil vai quebrar, o Brasil vai quebrar…

Saia da Bolsa, saia da Bolsa, saia da Bolsa…

Lembra daquela famosa capa da revista britânica The Economist?

A percepção atual traz muitas semelhanças com a daquele período.

A revelação de um áudio do presidente Temer sugerindo atos de corrupção desestabilizou o mercado.

Em apenas um dia, a Bolsa desabou -9%.

As aprovações das reformas trabalhista e previdenciárias foram colocadas em dúvida.

Na verdade, o governo inteiro entrou na berlinda.

Caiu em descrédito.

A desconfiança atingiu o mercado e a imprensa.

Só que justamente quando todos passam a desconfiar do Brasil e da Bolsa, é a hora de ganhar dinheiro.

Muito dinheiro.

É a oportunidade de fazer seu patrimônio se multiplicar por 2x, 3x…

O pessimismo funciona como uma neblina que esconde a realidade…

E é um fator humano se defender frente a qualquer obstáculo complexo.

E essa particularidade vale muito no mercado financeiro.

Para detalhar mais este ponto, nós trouxemos trecho de um texto brilhante de Warren Buffett, o megainvestidor que ganha bilhões investindo na Bolsa americana.

Ele segue à risca o lema ‘comprar barato e vender caro’.

O MOMENTO É IDEAL

Uma regra simples dita os meus investimentos: seja medroso quando os outros são gananciosos e seja ganancioso quando os outros estão com medo. E, certamente, o medo está generalizado agora.

Os investidores têm o direito de serem cautelosos com entidades altamente endividadas ou com negócios em posições competitivas fracas. Mas os temores em relação à prosperidade a longo prazo de muitas empresas do País não fazem sentido. Essas empresas vão realmente sofrer grandes soluços, como sempre fizeram. Mas a maioria das grandes empresas estabelecerá novos recordes de lucros de 5, 10 e 20 anos a partir de agora.

Deixe-me ser claro sobre um ponto: Eu não posso prever os movimentos de curto prazo do mercado de ações. Não tenho a menor ideia se as ações passarão a subir em um mês ou mesmo um ano a partir de agora.

O que é provável, porém, é que o mercado vai se manifestar, talvez substancialmente, bem antes de qualquer movimento da economia. Então, se você ficar esperando pelas andorinhas, a primavera terá acabado.

O texto foi escrito em 2008 para o jornal americano The New York Times.

Mas é absolutamente incrível como serve para nossa realidade.

Em suma, Buffett faz o que até então é a sua principal dica de investimento: a má notícia é a melhor amiga de um investidor.

“Ela permite que você compre uma fatia do futuro do País a um preço vil.”

É justamente esse o ponto…

Sob a ótica de multiplicação de valor e da existência de oportunidades de aplicação realmente relevantes, as manchetes a seguir são, na verdade, um desincentivo:

Todas elas sugerem períodos de otimismo e euforia nos mercados.

E todas precederam momentos de forte desvalorização das ações brasileiras.

Vieram antes de períodos de perdas generalizadas.

O próximo capítulo dessa história?

Quando todos estão otimistas, os ativos financeiros estão caros. É aí que você tem que proteger os seus investimentos.

Pela reunião de fatores negativos, atingimos este segundo ponto. Estamos no lado obscuro.

As evidências neste sentido agora são gritantes…

Compre ao som dos canhões, venda ao som dos violinos – e não o contrário.

Temos presenciado canhões diariamente. Estamos em meio ao fogo cruzado. E há uma máxima entre grandes investidores: “Compre onde há protestos nas ruas”.

Bingo!

Atingimos o ponto exato de preço.

Esta é a hora H da Bolsa.

Basta olhar a história recente para entender melhor.

Grandes ciclos de apreciação de capital ocorrem durante rupturas políticas.

Foi exatamente o que ocorreu há menos de dois anos, com o impeachment da presidente Dilma.

Só que tudo indica que essa nova onda de valorização será ainda mais bombástica.

Isso porque o movimento está ligado a uma guinada à ortodoxia econômica.

Mesmo com todo esse cenário de crise, o trabalho de Henrique Meirelles na Fazenda é bem-feito.

É dele o grande mérito de descolar o desempenho econômico da confusão política.

É claro que esse descolamento total é impossível – economia e política andam juntas.

Mas os avanços na reorganização da economia são claros.

E nem os mais radicais pessimistas de plantão conseguem negá-los.

As mudanças na economia estão sendo feitas de forma estruturada.

O primeiro passo foi a aprovação do ajuste fiscal, que limitou os gastos públicos.

Paralelamente, começamos a caminhar para um ambiente com taxas de juros mais baixas.

Viemos de um patamar de 14,25% em outubro de 2016 para os atuais 10,25%.

A expectativa do mercado é que a taxa básica de juros da economia termine o ano em 8,5%.

Isso mesmo com o presidente Temer correndo o risco de ser processado por corrupção no Supremo Tribunal Federal…

Essa redução pode ser ainda maior por causa de uma decisão tomada no fim de junho.

O Conselho Monetário Nacional anunciou a redução da meta anual de inflação pela primeira vez em 9 anos.

O objetivo a ser perseguido pelo chefe do executivo na economia baixou dos atuais 4,5% para 4,25%, em 2019, e 4,20%, em 2020.

Com o novo foco, abre-se espaço para uma redução ainda maior da taxa de juros.

E com os juros mais baixos, muitos investidores vão tirar o dinheiro da renda fixa e migrar para a variável.

É um caminho quase natural.

Os fundos de pensão, por exemplo, estão fortemente posicionados em NTN-B.

O NTN-B é um título do Tesouro cuja rentabilidade é composta por uma taxa anual pactuada no momento da compra mais a variação do IPCA.

Ocorre que boa parte deles tem como meta atuarial um retorno de +6% mais a inflação.

Mas as opções disponíveis no mercado de NTN-B já estão pagando menos do que inflação mais +6%.

Para alcançar os resultados desejados, esses fundos de pensão precisam comprar outros investimentos.

Isso mesmo, você pensou certo: investimentos como a Bolsa.

Esse fluxo de recursos é um dos lances que os pessimistas insistem em não enxergar.

Algumas ações vão potencializar esse movimento, concentrando a maior parte dos recursos e apurando valorizações estratosféricas.

Para você ter uma ideia do potencial desse movimento, hoje a alocação de recursos em NTN-B é da ordem de R$ 851 bilhões.

Isso mesmo: R$ 851 bilhões.

Como se não bastasse, ainda teremos um verdadeiro “tsumoney” de capitais vindos do exterior.

Assim como parte da imprensa brasileira e muitos analistas, os investidores estrangeiros continuam bastante céticos em relação ao Brasil.

Essa desconfiança vem se reduzindo gradativamente.

Os juros e a inflação mais baixos mostram que, apesar da política, são os primeiros sinais de melhora da economia brasileira.

A aprovação do teto dos gastos impôs um limite à gastança pública, o que foi visto positivamente lá fora.

As reformas, embora em passos mais lentos, continuam suas tramitações no Congresso.

O momento tem todos os elementos para atrair investimentos.

E tem mais um ponto importante, que passa despercebido para quem enxerga apenas um palmo diante do nariz…

A liquidez global é simplesmente gigantesca diante dos programas de afrouxamento quantitativo adotados pelos Bancos Centrais.

Para se ter uma ideia, só o Banco Central dos Estados Unidos injetou mais de 5 trilhões de dólares na economia desde 2008, via programa de estímulos e de afrouxamento quantitativo.

E ele foi acompanhado por outras importantes autoridades monetárias, como o Banco Central da Inglaterra, o Banco Central Europeu e o Banco do Japão.

Observe as curvas:

E há algo em comum com essas economias…

Hoje, elas oferecem taxas de juros praticamente zeradas, ou seja, sem grande atratividade para seus investidores.

Para onde irá todo esse dinheiro?

Por causa da crise política, o mercado ainda está subestimando o potencial brasileiro de recuperação.

Para a maior parte dos analistas, valem mais as notícias dos jornais do que o olhar de enxadrista.

Quando começarem a perceber a melhora, o fluxo de capitais em direção ao Brasil irá aumentar significativamente.

E nem precisamos absorver parte relevante desses recursos.

A absorção de um percentual ínfimo do capital internacional já seria suficiente para se traduzir em um efeito brutal sobre as cotações por aqui.

É como resumiu Giuliano de Marchi, do JP Morgan, em entrevista à InfoMoney:

“‘Vou para o Brasil, [minha alocação] era só 1% [do total], aumentarei para 2%’. Para esse investidor, são somente 2%, mas para o Brasil já são 100% a mais. É um pouco o que aconteceu no boom das commodities, o dinheiro volta para o País.”

Preciso repetir?

Estamos na hora H da Bolsa.

Com uma aplicação, feita única vez, no lugar certo e no instante exato, você tem a chance de fazer seu patrimônio multiplicar por 2x, 3x…

E tem um outro fator que é preciso ressaltar – e que, surpresa!, também desapareceu dos textos dos pessimistas.

A situação das empresas brasileiras, de um modo geral, é extremamente confortável.

A retração do consumo e da atividade econômica em geral permitiu que indústria, comércio e varejo fizessem os ajustes necessários em busca de eficiência.

O resultado é que o empresariado terá a chance de trabalhar sem a pressão de aumentos de custos e salário.

A consequência virá naturalmente nos balanços de final de ano, com os lucros aferidos na Demonstração dos Resultados do Exercício.

E esse bom desempenho vai se refletir no mercado variável.

As empresas lucrativas vão melhorar seu patrimônio líquido e vão ficar ainda mais interessantes.

E vão atrair a atenção de investidores daqui e de fora.

Vai ganhar quem se posicionar agora, quem não perder essa janela de oportunidade, a Hora H da Bolsa.

Para alcançar os lucros capazes de fazer seu patrimônio se multiplicar 2x, 3x, 4x, é preciso se posicionar agora.

Você terá acesso a uma cesta de recomendações que vai se beneficiar exponencialmente com essa conjuntura.  

Antes de terminar, é preciso mostrar um outro gráfico, que mostra a Bovespa dos anos 1980 até os dias de hoje.

Com ele, você terá uma ideia melhor da importância de olhar um cenário de uma forma mais ampla, como fazem os jogadores de xadrez.

A Bovespa teve, ao longo de sua história três grandes ciclos de valorização.

O primeiro deles, ocorrido na turbulenta passagem da ditadura para a Nova República, fez a Bolsa subir 16x.

O segundo grande ciclo de valorização, que multiplicou o preço das ações por 30x, veio a partir do impeachment do Collor.

O crescimento começou em um momento em que muita gente não confiava nas instituições democráticas estabelecidas na Constituição de 1988.

O terceiro deles ocorreu também depois de um período de indefinição, antes da eleição do presidente Lula.

O medo era que ele colocasse fim às estruturas econômicas do Plano Real.

O resultado foi um impulso com uma multiplicação de 19x.

Agora, estamos novamente diante de uma ruptura de cunho político, que inclui o descrédito total de parlamentares e membros do executivo.

A convicção de nossos analistas é que estamos prestes a entrar em um novo ciclo de alta.

E, quando vier a onda grande, você vai estar bem posicionado nas dicas de investimento que nossos analistas têm em mãos.

Porque, afinal, não são todas as ações da Bolsa que vão se beneficiar de forma intensa…

Apenas as melhores. 

O que você precisa para conseguir multiplicar seu capital com esta oportunidade.  

Antes de darmos o último passo, preciso que responda a três perguntas simples.

É indispensável que responda “sim” a todas elas, como condição para enquadrar  você nas GARANTIAS atreladas à oportunidade em questão:

Questão 1: Você está disposto a gastar 20 minutos a cada 15 dias fora de sua zona de conforto?

As recomendações que vamos apresentar não envolvem riscos desnecessários ou instrumentos financeiros complexos.

Somente vamos recomendar aplicações normais, com boa liquidez de negociação e de fácil acesso.

E como você estará apenas seguindo aplicações regulares, você não precisará de contas especiais para capitalizar com As Oportunidades de Uma Vida, do Palavra do Estrategista.

Você pode usar uma corretora à sua escolha, caso prefira, ou mesmo o seu banco.

Se precisar, terá acesso a informações que vão lhe auxiliar a fazer o primeiro investimento na Bolsa.

A única coisa que lhe peço é para acompanhar os alertas que virão de quinze em quinze dias em seu e-mail.

Não nos responsabilizaremos por recomendações que não forem seguidas ou ignoradas.

As instruções serão simples e diretas. Você não precisará de mais do que 20 minutos para entender e aplicar cada uma delas.

Apenas pedimos que reserve esse tempo para segui-las.

Questão 2: Você está disposto a dedicar os recursos necessários para extrair o máximo de valor disso?

Uma das vantagens da série As Oportunidades de Uma Vida, do Palavra do Estrategista, é que – porque você estará apenas fazendo aplicações convencionais – não precisará desembolsar um grande montante de capital para fazer essas aplicações.

No entanto, eu recomendo fortemente que, caso você queira extrair o máximo dessas oportunidades, tenha à disposição pelo menos R$ 5 mil para seguir as recomendações.

Estamos lidando com a possibilidade de multiplicação de valor de forma que, para mudar o seu padrão financeiro para sempre, seria ideal ter montante próximo ou superior a isso para gerarmos rapidamente um retorno significativo.

Questão 3: Você está levando isto a sério?

Falei no decorrer deste texto sobre a possibilidade de multiplicação de capital, e isso naturalmente mexe com o emocional das pessoas, gerando excitação.

Mas estamos próximos de atingir o ponto de transformar palavras em ação.

O que quero dizer especificamente é que se você estiver disposto a agir sobre estas oportunidades recomendadas, você precisa levá-las muito a sério e se dedicar a elas.
Isso porque preciso que você tenha o mínimo comprometimento diante do enorme compromisso que estou assumindo aqui.

#

Caso tenha respondido “sim” a todas as perguntas, considere-se pronto para colocar tudo isso em prática.

Enfim, a oportunidade uma única vez e no instante exato, poderá fazer seu patrimônio multiplicar por 2x, 3x…

Esta é a hora H da Bolsa.

“Quando ninguém mais quer saber do Brasil e da Bolsa, surgem oportunidades para ganhar muito dinheiro”.

Você pode começar a ganhar com As Oportunidades de Uma Vida imediatamente após aceitar este convite.

Vou lhe apresentar uma cesta de recomendações que, feita apenas uma vez, corretamente, pode mudar o seu padrão financeiro para sempre.

Os lucros que você terá apenas com esta oportunidade imediata são mais do que suficientes para cobrir todo o valor de adesão ao Palavra do Estrategista.

E se você não lucrar com ela em 12 meses, a Empiricus se compromete a fornecer a assinatura do Palavra do Estrategista PARA SEMPRE.

Ou seja, com todos os custos arcados pela Empiricus.

Na melhor das hipóteses, a oportunidade dará certo e você terá um lucro substancial em 12 meses.

Na pior hipótese, a oportunidade não se provará lucrativa, e você terá acesso ao meu relatório de consultoria pelo resto da sua vida.

Tenho convicção de que algumas pessoas podem lucrar milhares de reais, talvez milhões apenas com esta oportunidade…  

Do contrário, a empresa não colocaria em risco R$ 3,22 milhões nisso, com o comprometimento pessoal de seus sócios.

Obviamente, a proposta em questão impacta a base de custos da empresa – o que afeta diretamente os 150 profissionais contratados da empresa.

Por essa razão, estamos limitando esta oferta a 700 assinantes.

Isso porque, caso a estratégia não se prove lucrativa, estamos colocando à disposição de nosso relatório mais importante pelo resto da vida sem qualquer custo.

Obviamente, temos uma série de custos para continuar produzindo e fornecendo esse material por anos e anos.

O valor para adesão ao Palavra do Estrategista com os detalhes da oportunidade de investimento é de R$ 12,90 por mês na assinatura anual nesta condição exclusiva.

Lembrando que:

(i) você pode lucrar com as recomendações das série As Oportunidades de Uma Vida, que você receberá imediatamente;

ou

(ii) tem acesso ao relatório pelo resto da sua vida com todos os encargos pagos pela Empiricus.

Antes de terminar, quero lhe apresentar a Empiricus com mais propriedade.

Certamente você já ouviu falar a nosso respeito, mas não sabe exatamente o que a gente faz.

Somos a maior publicadora de conteúdo financeiro do Brasil.

Temos mais de 300.000 assinantes ativos.

O trabalho da Empiricus está 100% focado em encontrar formas de valorizar patrimônio de pessoas físicas.

O seu patrimônio.

Nós não vendemos anúncio nem fazemos corretagem.

Também não temos produtos financeiros, como bancos e corretoras.

Nossa receita vem exclusivamente de nossas assinaturas e cursos.

Os 28 profissionais da área de análise financeira são dedicados a encontrar alternativas lucrativas para você.

Na verdade, só ganhamos dinheiro se você estiver realmente satisfeito com o resultado.

Por isso, temos a liberdade para recomendar o que há de melhor para você.

Obrigado, Alessandra.

Esse é o objetivo: o economês fica de fora de nossos relatórios.

Valeu, Rogério.

Eis outro objetivo da Empiricus.

Queremos ajudar nossos assinantes a ter um colchão de segurança para que todos possam realizar os sonhos de suas famílias.

Isso mesmo, Lucas.

É preciso diversificar. Mas fazer isso de uma maneira correta para potencializar os lucros, sem afetar seus investimentos.

Considerando esse valor mensal de R$ 12,90, multiplicando-o por 12 meses e atribuindo a ele um múltiplo de 30x (30 anos) para a assinatura na perpetuidade, estamos falando de um COMPROMISSO no valor de R$ 4,6 mil para cada nova assinatura do Palavra do Estrategista nestas condições…

Por essa razão, abriremos apenas 700 vagas nestas condições, o que leva o montante total alocado em garantia de R$ 3.220.000.

Peço a compreensão de todos, mas não podemos abrir vagas ilimitadas por uma questão de gerenciamento de riscos da nossa empresa.

Isso é dinheiro que estamos colocando em risco para cada leitor, ou, depositando na convicção de que a oportunidade em questão é de fato rentável.

Clique abaixo para receber as oportunidades de multiplicação de patrimônio dentro destas condições.

Assine por 1 ano – 12x de R$ 12,90

Assine por 3 anos – 12x de R$ 38,70

MELHOR OFERTA
Assine pelo RESTO DA VIDA – 12x de R$ 38,70

 

Informações Importantes:

Os conteúdos da Empiricus visam informar o seu destinatário sobre matérias relacionadas a economia, finanças e investimentos. A Empiricus se exime de qualquer responsabilidade sobre eventuais prejuízos que o destinatário de seus conteúdos tiver em decorrência da sua tomada de decisão. Embora a Empiricus forneça informações sobre investimentos, fundamentadas sob avaliação criteriosa, não se pode antecipar comportamentos. Padrões, histórico e análise de retornos passados não garantem rentabilidade futura. Todo investimento financeiro, em maior ou menor grau, embute riscos que podem ser mitigados mas não eliminados. A Empiricus alerta para que nunca sejam alocados em renda variável aqueles recursos destinados a despesas imediatas ou de emergência, bem como valores que comprometam o patrimônio do assinante. A Empiricus é uma publicadora de conteúdos, totalmente dissociada do sistema de distribuição de valores mobiliários, e, por conseguinte, não obtém nenhum tipo de receita advinda de comissões, corretagens ou emolumentos sobre montantes eventualmente aplicados. A Empiricus zela pelo direito de privacidade dos seus leitores.


A Empiricus foi fundada em 2009 com um objetivo: levar conteúdos financeiros independentes
e de qualidade para a pessoa física.

Hoje, nossa equipe conta com mais de 200 colaboradores.
Afinal, somos uma empresa de pessoas e produzir conteúdo relevante para a sua vida financeira não é tarefa fácil.

Mas a Empiricus não é apenas a sua equipe, somos os mais de 180 mil assinantes das publicações.
Para conhecer algumas dessas histórias, acesse https://www.empiricus.com.br/depoimentos

Se quiser saber mais sobre a Empiricus, acesse nosso site em www.empiricus.com.br ou envie um email para relacionamento@empiricus.com.br.

A Empiricus apoia

 

Uma empresa associada à Agora Companies


Maior grupo de publicações financeiras do mundo, com mais de 2.700.000 assinantes

Empiricus
CNPJ 11.431.155/0001-07
Copyright © 2009 – 2019

Av. Brigadeiro Faria Lima, 3.477
Torre B - 10º Andar
CEP 04538-133 - Itaim Bibi - São Paulo

Relacionamento com o assinante
Telefone(s): 4003-3117 | 4003-3118
(ligação local)