Caro leitor,

O que é sucesso para você?

Para o sujeito da foto acima, a resposta é simples:

Olhe no espelho todos os dias pela manhã.

Se a imagem refletida não decepcionar a pessoa que você era aos 18 anos,

você é um sucesso.

Ele é Felipe Miranda, sócio-fundador da Empiricus.

Vou lhe contar uma coisa.

Felipe não se considera bem-sucedido.

Desde muito jovem, seu objetivo de vida é mudar a cultura de investimentos no Brasil.

Ajudar pessoas como você a organizar suas finanças, investir melhor e ganhar dinheiro

Fazer com que tenham resultados iguais ou superiores aos investidores profissionais.

Ele está conseguindo isso?

A resposta é NÃO.

Sua missão está fracassando.

Como o único player totalmente independente com alguma relevância nesse mercado, Felipe já conseguiu abrir os olhos  de algumas pessoas.

Mais especificamente, seus 107,5 mil assinantes.

Seu trabalho já gerou mais de R$ 343 milhões em ganhos para eles.

Pessoas tais quais o Daniel…

“Olá Felipe,
Desde quando me tornei assinante da Empiricus, em plenas férias, me tornei fã de toda sua equipe. Parabéns! Se vendesse hoje as ações que comprei por indicação de vocês, em dois meses teria ganho R$11.874,54. Vinte e dois anos como professor nunca ganhei tanto em tão pouco tempo.”

A Regina…

“Felipe, veja o que aconteceu com sua discípula aqui ao seguir suas recomendações:
CTIP3 +21,6%… KROT3 +46%… NATU3 +43,5%…
Foi o meu debut na Bolsa… aos 54 anos!!!!
Muito obrigada, não só pelas orientações, mas principalmente por me dar segurança para comprar ações sem a intermediação do Banco. As análises que você e a equipe da Empiricus fazem são completas e me dão esclarecimento suficiente para fazer um investimento responsável.”

E também o Alexander…

 “Felipe, muito obrigado!
Eu me considerava um completo analfabeto dos investimentos até conhecer você. Tudo que você escreve é simples e eu consigo executar. Eu e minha esposa separamos uma quantia para ações e, acredite, em poucos meses conseguimos DOBRAR nosso dinheiro!!! Espero continuar assim por muitos anos! Abraço.”

Isso é bom?

Aparentemente, sim.

Mas, na verdade, não é.

Cem mil pessoas é de longe mais do que qualquer outro analista financeiro conseguiu.

Ele tem orgulho disso.

Mas sabe que ainda está bem longe do seu objetivo inicial.

O investidor pessoa física continua aplicando muito mal.

76% dos brasileiros ainda recorrem a poupança na hora de investir suas economias.

Os que buscam alternativas melhores seguem presos aos bancos, suas taxas abusivas e a rentabilidade pífia das aplicações que eles empurram para seus clientes.

Esta carta é um convite para você ajudar a mudar esta realidade.

Que talvez você não tenha percebido, mas também é a sua realidade.

Ou estamos enganados?

Por acaso, você é alguma dessas pessoas que citamos acima?

Já está ganhando dinheiro indo além do que oferece seu banco?

Vamos te mostrar, por meio desta carta, a ÚNICA forma de você mudar este jogo.

Recentemente, fizemos um levantamento dos fundos dos principais bancos brasileiros*.

Apenas nas categorias premium.

Ao todo foram 159 fundos.

Desses, desde o início somente 34 batem o CDI, a principal referência de retorno no Brasil, que deveria ser superado por um bom fundo.

Apenas 21% dos “melhores fundos do mercado” são realmente lucrativos.

Absurdos 49 fundos, ou seja, 31%, rendem menos que 70% do CDI desde o início.

A esmagadora maioria está deixando de ganhar dinheiro.

Fazendo você pagar taxa de administração para o banco em troca de uma performance equivalente à da poupança, só que com mais risco.

E estamos falando de fundos de renda fixa e fundo de ações bem famosos, como BB Estilo, Itaú Personnalité, Bradesco Prime, Santander Van Gogh.

Os fundos desses segmentos que perdem para o CDI desde sua criação somam nada menos do que R$ 147,21 bilhões.

CENTO E QUARENTA E SETE BILHÕES.

*dados históricos até o início de março de 2017 (fonte: Morningstar)

Ou seja, os fundos ruins estão DESTRUINDO os recursos de muitos investidores.

Acabando com o poder de compra das economias suadas de milhões de brasileiros.

Talvez você seja um deles. Ou seu pai, sua mãe, seu marido, sua esposa.

O trabalho do Felipe Miranda e sua equipe tem sido denunciar sistematicamente os investimentos caros e ruins disponibilizados pelos bancos.

Não se trata de nenhum aventureiro.

Ele começou muito cedo.

Comprou sua primeira ação aos 14 anos.

Foi acadêmico, professor da FGV.

Analista em grandes empresas do mercado financeiro.

E seguindo a sua vocação maior, fundou seu próprio negócio.

Ele já cometeu erros como empresário e analista?

Claro que sim. Trabalhando com ativos de risco, não tem como ser diferente.

Que o diga o prejuízo pessoal que ele teve com as ações da Globo Cabo (ou “Globo Nabo”, como ele prefere dizer) anos atrás…

Mas é aquela história. Só perde o pênalti quem bate…

É mais ou menos como diria Michael Jordan, o maior jogador de basquete de todos os tempos:

Antes da Empiricus, quem queria investir suas suadas economias estava sozinho.

Mas ao focar em você ganhar dinheiro, não as instituições, contrariamos muitos interesses.

Essa cruzada cobrou seu preço. O Felipe carrega as cicatrizes do combate.

Se você acompanhar o noticiário especializado, verá que ele já foi:

Acusado de manipular o mercado para lucrar ilegalmente com a queda das ações do frigorifico Marfrig….

Acusado de receber dinheiro de Aécio Neves e do Google para atacar o governo Dilma…

Acusado de receber dinheiro de bancos e corretoras para promover um produto deles…

Acusado de ser golpista e tentar derrubar a então presidente…

Acusado de ser não um analista financeiro, mas sim um marqueteiro enganador…

Acusado de ser um terrorista

Como você se sentiria ao ver seu rosto e seu nome em matérias e comentários como esses?

Como você pode imaginar, não é nada fácil ser processado, chamado de charlatão, louco, arruaceiro, criminoso, terrorista e outras ofensas que o bom senso impede de reproduzirmos aqui…

Mas como disse o filósofo alemão Nietzsche, “aquele que tem uma razão para viver, pode suportar quase tudo”.

Ter a verdade ao seu lado também ajuda bastante.

Vamos aproveitar para esclarecer agora o resultado de todas essas denúncias: nenhum.

Eram apenas acusações vazias.

O processo movido pela Marfrig contra a Empiricus na justiça comum já foi encerrado, sem sanções contra nós.

Na realidade, foram constatadas irregularidades nos balanços da Marfrig, que foi obrigada a republicá-los.

A CVM constatou também que nem a Empiricus ou qualquer de seus sócios havia se beneficiado de negociações com ações da Marfrig.

Era uma acusação improcedente.

O processo movido pela ex-presidente pra censurar nossas análises também não deu em nada.

A representação de Dilma foi derrotada no Tribunal Superior Eleitoral.

Sua ação foi considerada um ataque contra a livre expressão.

Quanto às ameaças de militantes e acusações de “golpismo” e “terrorismo econômico”, o tempo tratou de dar as respostas.

Infelizmente, os desdobramentos da crise mostraram que sua análise estava correta.

Cada um dos 10 pontos levantados pioneiramente na tese O Fim do Brasil se confirmaram.

Entre eles:

– O dólar a R$ 4 (quando a moeda ainda estava em R$ 1,90)

– A devastação da Petrobrás (antes de a Lava Jato expor o tamanho da corrupção e desmandos na companhia)

– A disparada do desemprego (quando o governo ainda falava em “pleno emprego”)

– E, claro, a maior crise da história republicana brasileira.

Mas o que orgulha o Felipe não é ter razão…

… e sim saber que seus leitores foram alertados com antecedência sobre a tragédia econômica que viria.

Quem seguiu suas recomendações pôde preservar seu patrimônio e ganhar muito dinheiro.

Essa é a base da confiança entre a Empiricus e seu público.

Antes de nós, ninguém se dedicava a passar apenas as melhores recomendações, sem outros interesses.

Tampouco oferecia orientações financeiras práticas, juntamente com as estratégias de investimentos mais apropriadas.

Mais do que criar uma empresa, tivemos que desenvolver um novo mercado

Você já viu que simplesmente não dá para contar com os grandes bancos.

Eles costumam gerar dinheiro para o banqueiro, não para você.

Por exemplo, seu gerente já recomendou que você aplicasse no Tesouro Direto, um dos melhores investimento dos últimos 10 anos, e que rendeu 400% no período…

… ou preferiu empurrar um PIC ou um CDB que não rende nada, um fundo DI cuja alta taxa de administração corrói todo o lucro?

Qual é a lógica: o gerente oferecer um produto que seja bom para você ou bom para quem paga o salário e o bônus dele?

Pois é.

Mas você não precisa mais passar por isso, como já acontece com nossos milhares de leitores, que hoje investem de maneira muito mais lucrativa.

E quanto às corretoras?

As independentes fazem um trabalho importante.

Você deve ter conta em uma boa corretora para ter acesso a uma rede mais ampla de produtos financeiros do que a oferecida pelos bancos.

Porém, ignore suas sugestões de investimentos.

Aqui também há um conflito “lucro do cliente x lucro da empresa”, tal como acontece com os bancos.

É simples. Corretora ganha dinheiro com corretagem.

Lucra de acordo com as operações que você efetua.

Logo, é do interesse dela oferecer recomendações de investimento que rendam mais corretagem ou outra taxa qualquer para seus cofres..

A qualidade da ação recomendada fica para segundo plano.

Não importa se você terá lucro ou prejuízo.

Eles ganham dinheiro a cada operação que você fizer.

Por isso, cada um no seu quadrado.

Corretoras são boas plataformas de acesso para investir, mas não são boas de recomendações.

Temos ainda a imprensa “especializada”.

Ela deveria informá-lo sobre as boas alternativas de investimentos.

Alertar sobre armadilhas.

Mas você já parou para ver quem anuncia em jornais, revistas, sites e programas de TV?

As mesmas empresas que a imprensa deveria cobrir.

Resumindo, os jornais, revistas e TV falam sobre quem paga suas contas.

Alegando uma pretensa imparcialidade.

Na Empiricus não temos esse tipo de conflito.

Não aceitamos anúncios de nenhuma espécie em nosso site e publicações.

Nossas recomendações e análises são 100% independentes. A única fonte de receita são os assinantes.

Curiosamente, enquanto a Empiricus teve uma única investigação aberta no MPF, por conta de uma questão eleitoreira de 2014, já resolvida, e foi matéria de jornal por isso…

Você tem ideia de quantos processos os jornais têm contra si?

E os bancos e demais instituições financeiras?

Eles possuem nada menos do que 11.308 ocorrências de penalidades aplicadas no período entre 2007 e 2017, segundo o Banco Central.

Ou seja, melhor não contar com a mídia.

A verdade precisa ser dita:

O sistema todo é montado para extrair o dinheiro do pequeno investidor e colocá-lo no bolso das instituições financeiras.

A Empiricus mudou isso.

O pequeno investidor é nossa razão de existir.

Vamos ajudá-lo e defendê-lo de maneira ferrenha até o fim.

É uma cruzada e uma missão de vida, mas também é de nosso total interesse.

Instinto de sobrevivência.

Afinal, é esse investidor que paga nosso almoço.

Não somos corretora. Não aplicamos seu dinheiro para você.

Não cobramos comissões de nenhum tipo.

Só ganhamos dinheiro se você estiver satisfeito, assinando nossos relatórios e lucrando com nossas recomendações.

Não podemos afirmar se determinado investimento vai ser lucrativo sempre.

Ou que determinada ação vai subir continuamente ou nunca vai cair.

Não temos bola de cristal, nem vocação para videntes.

Não temos a pretensão de adivinhar pontos de mínima e máxima de uma ação, por um simples motivo: isso é impossível.

Os mercados estão sujeitos a variáveis que não cabem nas planilhas.

Como disse o gênio da ciência e também investidor Sir. Isaac Newton, “eu consigo calcular o movimento dos corpos celestes, mas não a loucura das pessoas”.

Nossa preocupação é fazer análises financeiras que gerem valor real aos leitores.

Levamos isso com o máximo de seriedade.

Trabalhamos incansavelmente para encontrar maneiras de fazer nossos assinantes ganharem dinheiro.

E estamos obtendo enorme sucesso, apesar da crise…

Apenas as recomendações do relatório Palavra do Estrategista, do Felipe Miranda, já geraram riqueza superior a R$ 343 milhões para seus 107,5 mil assinantes.

Porém, o Felipe e todos nós da Empiricus não estamos satisfeitos.

Nosso desafio constante é aumentar esse número.

Fazer com que mais pessoas abandonem os investimentos ruins e consigam melhores retornos para seu dinheiro.

Vamos dar um exemplo prático.

Felipe recomendou a compra do dólar quando estava a R$ 2,20.

O mercado em geral não via a moeda americana como um investimento interessante na época.

Como você sabe, em 2015 o dólar disparou e passou dos R$ 4,00.

Exatamente como ele havia alertado – sendo acusado de “terrorista” por causa disso.

Comprando US$ 1.000 (R$ 2.200) em 2014 e vendendo na data que recomendamos, cada leitor teria embolsado R$ 4.000.

Um lucro de mais de R$1.800.

Multiplicando esses R$ 1.800 de ganho individual por 107,5 mil assinantes, a série geraria uma riqueza de R$ 193,5 milhões.

E estamos falando apenas da disparada do dólar.

Mas o Palavra do Estrategista vai muito além de análise de câmbio.

As ações recomendas por Felipe e sua equipe superam consistentemente o índice de referência do mercado, o Ibovespa.

Não podemos deixar de lembrar que operar com ações envolve riscos.

Sempre recomendamos que você nunca invista um valor que possa comprometer suas finanças.

Em hipótese alguma.

Retornos passados não significam retornos futuros.

Mas seguimos a estratégia do “acerte mais do que erre”.

Perder pouco nos erros, ganhar muito nos acertos.

E arriscamos dizer, não sem orgulho: no Brasil, ninguém acerta tanto quanto nós.

Em setembro de 2014, Felipe Miranda recomendou a compra de papéis da empresa Suzano.

A ação estava cotada na ocasião a R$ 9,99.

Vamos supor que cada um de nossos leitores tivesse comprado apenas um lote padrão de 100 ações por R$ 999.

A cotação de SUZB5 (ação da Suzano Papel e Celulose) chegou a R$ 19,00 um ano depois, em setembro de 2015.

Quem seguiu a recomendação, DOBROU seu dinheiro em 12 meses.

Cada assinante embolsaria algo em torno de R$ 900 de lucro.

Vezes 107,5 mil, temos R$ 96,7 milhões.

O Palavra do Estrategista gerou R$ 290 milhões de ganhos potenciais em 1 ano, apenas com esses 2 exemplos.

Mas outras recomendações tão lucrativas quanto essas foram feitas nos relatórios.

Recentemente, Felipe iniciou uma série de recomendações chamada Oportunidades de Uma Vida.

As 4 primeiras ações indicadas já renderam na média +136%.

Foram valorizações acumuladas como os +146,20% de Kroton + Estácio.

Operação que foi capaz de transformar cada R$ 10.000 investidos em R$ 24.620.

Ou como os +143,20% de Natura + Rumo.

A quinta recomendação valorizou +24% em apenas dois meses.

Felipe acredita que a sexta poderá render algo como +40% em 12 meses, mesmo levando em conta o cenário desfavorável.

Constantemente, ele busca novas oportunidades como essas para seus leitores.

Sua equipe analisa o potencial dos negócios, os riscos envolvidos, os fatores macro e microeconômicos…

…para recomendar apenas as melhores ações.

E você também pode colocar sua fatia desses ganhos potenciais no bolso.

Ter a chance de mudar sua realidade financeira para sempre.

Melhorar seu padrão de vida.

Realizar seus objetivos.

Se preparar mais adequadamente para o futuro.

Não importa se você tem R$ 1.000 ou R$ 100.000 para investir.

Não importa se você nunca comprou uma ação na vida.

Daremos sempre o passo a passo.

Porém, rentabilidade não é nossa única preocupação.

Tão importante quanto lucrar é evitar perdas e blindar seu patrimônio.

Vamos além de recomendar ações de empresas sólidas e indicar fundos de investimento vencedores e confiáveis.

Aqui, somos entusiastas da estratégia Tail Hediging, do investidor Mark Spitznagel.

Não se preocupe com o nome complicado.

Em linhas gerais, trata-se de um “seguro-catástrofe”.

Sim, uma espécie de seguro para seus investimentos em ações.

Trata-se de uma categoria específica de papéis, que valorizam rapidamente sempre que algum evento derruba os mercados.

Como acabou de acontecer com a crise política que ameaça derrubar o governo Temer, e fez a bolsa cair mais de 10% em um único dia.

Enquanto as ações despencavam, os seguros que recomendamos aos nossos leitores não paravam de subir.

A imagem acima foi tirada do monitor do próprio Felipe na quinta-feira 18 de maio, dia em que a Bolsa brasileira teve suas negociações paralisadas diante do estouro do escândalo envolvendo o presidente Temer.

A coluna destacada na imagem diz respeito à variação dos seguros que estávamos recomendando aos leitores da Empiricus.

Note que ela traz variações da ordem de:

+ 792,31%
+ 642,86%
+ 588,89%
+ 368,75%
+ 327,27%
+ 121,62%
+ 100,00%

Todas essas variações são reais, obtidas apenas no pregão da quinta-feira, 18 de maio de 2017.

Enquanto o mercado todo estava em pânico, com perdas generalizadas e operações paralisadas, os seguros-catástrofe garantiram um dia bastante positivo para quem estava seguindo a estratégia em questão.

Para se ter uma ideia, +792,31% significa que R$ 100 investidos na estratégia virariam R$ 892,31.

E que cada R$ 500 se transformariam em R$ 4.461,55.

Se cada um dos leitores do Palavra do Estrategista tivesse R$ 500 no seguro indicado que mais valorizou, teriam aferido ganhos totais superiores a R$ 53 milhões.

Foto tirada da tela da minha corretora ontem às 12:20h. Obrigado EMPIRICUS, Obrigado Felipe! Mande lembranças ao Mark Spitznagel!
Denis S.

Relembrando: apenas com os R$ 193,5 milhões da valorização cambial antecipada pelo Felipe, os R$ 96,7 milhões das ações recomendadas e esses R$ 53 milhões…

…O Palavra do Estrategista já gerou um potencial de ganho de R$ 343 milhões para seus leitores.

Depois do susto, diversos “especialistas” e comentaristas da mídia passaram a falar em Tail Hediging.

A diferença é que nós da Empiricus sempre recomendamos a compra de seguros-catástrofe.

Nunca esperamos o pior acontecer para agir.

Assim como não baixamos a cabeça com as tentativas de censura que sofremos do governo.

Não baixamos também diante da perseguição de um setor da mídia.

As pressões das grandes instituições financeiras.

Aos comentários maldosos dos “haters”.

Sobrevivemos.

Mais do que isso: saímos mais fortes.

O mais importante é que fazemos os nossos leitores ganharem dinheiro, com um track record de resultados que nenhuma outra empresa de publicações financeiras, consultoria, fundo ou banco possui.

Você não lê nenhuma linha sobre isso nos jornais, claro.

Mas pode ouvir diretamente da boca dos nossos assinantes o que eles têm a dizer.

Foi assim, colocando os interesses dos leitores sempre em primeiro lugar que, em 7 anos, nos tornamos a maior casa de análises independentes do Brasil.

Impactamos 2 milhões de leitores e temos 170 mil assinantes pagos.

Hoje, somos em mais de 200 colaboradores.

Contamos com a mais completa e qualificada equipe de analistas do País.

Mas nem sempre foi assim.

O próprio Felipe Miranda pode contar melhor esta história:

“Ao longo do tempo, dezenas de vezes me olhei  no espelho e pensei ‘não vai dar’.
Vários obstáculos me fizeram pensar em desistir.
Não por falta de energia, de paixão.
É que parecia mesmo que não tinha como dar certo.
Bolsa parada, corretoras quebradas, preconceitos e resistência contra um negócio novato.
Não éramos apenas novos no mercado. Estávamos criando um novo mercado.
E se as condições profissionais não ajudavam, as pessoais então…
Meu pai acabara de falecer e minha família estava literalmente quebrada.
Um trader de ações como era o Ramiro passa por altos e baixos.
Pode ficar pobre e ficar rico diversas vezes ao longo da vida.
Ao nos deixar, a gangorra estava na parte de baixo.
Eu e minha mãe, dona de casa, estávamos falidos.
De repente, eu, filho único, estava sem meu maior herói e referência ética e profissional.
E tudo isso bem no momento que me vi pai de um filho não planejado.
Bom, acho que deu para entender que não foi um período dos mais fáceis.
Nesse momento, minha mãe, que tão bem acompanhou os percalços de meu pai, certamente gostaria que eu estivesse em qualquer outra profissão.
Quanto mais longe do mercado financeiro, melhor.
Mas nascido e criado em escola jesuítica, como fui, acredito em chamado do destino.
Aquela vocação, uma convocação e um senso de missão que precisa ser atendido.
‘Você não pode trair sua alma, pois ela se vingará de você’ como disse o psicólogo e escritor James Hillman.
Mas certamente também me dediquei tanto a estudar ações para estar mais perto de Ramiro.
Como todo filho, buscava, claro, a aprovação do meu pai.
Uma das minhas grandes frustrações é ele não ter visto a Empiricus sair da garagem onde começou.
Mas tenho o conforto de saber que estou atendendo meus anseios mais profundos e seguindo minha predestinação.
Porém, também carrego o peso de ainda estar muito longe do meu objetivo: fazer o brasileiro poupar e investir mais e melhor. Sigo na luta”

Na Empiricus, não nos deixamos abalar pelos fracassos, nem nos acomodamos com as conquistas.

Continuamos movidos por um desejo.

Ver as pessoas comuns livres da escravização dos bancos.

Investindo com melhores retornos, comprando ações…

Sem a visão superficial de que se trata de algo arriscado demais.

Arriscado é não cuidar do seu dinheiro e perder oportunidades que poderiam mudar seu patamar financeiro e sua vida.

Nada mais inseguro em termos financeiros do que ser pobre para sempre.

Converse com alguns de nossos assinantes. Ouça o que eles têm a dizer.

Participe de alguns de nossos eventos ao vivo e veja qual a relação que os clientes mantêm conosco.

“Bom dia Felipe! Meu nome é Rafael, sou assinante vitalício do Palavra do Estrategista. Comecei a estudar sobre ações em 2005 (…) o que mais me incomodava era o fato de não ter uma fonte de informações confiável e a opinião sincera de especialistas sobre determinados ativos que me ajudassem a ter resultados positivos (…) Quem dera eu tivesse conhecido a Empiricus antes… Agradeço a você e a toda a sua equipe pela honestidade nas análises e pelo bom caráter de vocês! Atenciosamente. Obs.: o seu pai ficaria orgulhoso de você!”
Rafael F.

“Olá, quero dizer como estou satisfeito. Já ganhei mais de 100% nas suas recomendações, apesar de estar apenas começando a entender este mundo. Falo hoje para as pessoas que experimento realmente na prática o que vocês estão propondo e recomendo que todos façam o mesmo.”
João R.

Talvez você não tenha interesse de conhecer mais a fundo nosso trabalho.

Se for assim, gostaríamos de agradecer sua atenção.

Muito obrigado por nos acompanhar até aqui.

Mas temos certeza de que você tem muito a ganhar conosco.

Se ainda lhe resta alguma dúvida de que o conteúdo que estamos prestes a compartilhar poderá revolucionar as suas finanças, queremos te fazer um convite.

Tenha acesso imediato à assinatura do Palavra do Estrategista por 12x de R$ 12,90.

É só isso que custará para você conhecer e avaliar o relatório do Felipe Miranda.

Gostaríamos que você mesmo diga se ele é bom ou não.

Estamos vivendo um momento delicado.

Embora a economia tenha dado sinais de recuperação, com algumas reformas fundamentais saindo do papel, o clima de instabilidade política e um horizonte de incertezas pode colocar tudo a perder.

Situações excepcionais exigem medidas excepcionais.

Por isso, estamos oferecendo esta condição imperdível.

Estamos convictos que você poderá lucrar com as informações que estamos prestes a lhe oferecer.

Enquanto o índice Bovespa subiu +44,95 entre setembro de 2015 e maio de 2017, as ações que Felipe indicou em seus relatórios renderam +136,30% de lucro na media no mesmo período.

Com apenas três das recomendações do nosso relatório, os assinantes já tiveram oportunidades de lucro na ordem de R$ 343 milhões.

E este é apenas um exemplo do potencial de ganhos que você também terá acesso como assinante, por apenas 12 parcelas de R$ 12,90 na assinatura anual.

Mas isso é somente nesta oferta.

Caso prefira o pagamento à vista, ainda receberá mais 5% de desconto no cartão.

Ou seja, por apenas R$ 12,00, você terá acesso imediato a:

1) Relatório quinzenal Palavra do Estrategista – Vamos acompanhar com você os desdobramentos macroeconômicos e os próximos passos dos mercados por meio do relatório de investimentos mais acessado do mercado de capitais brasileiro, responsável por uma série de análises importantes, desde O Fim do Brasil à disparada do dólar, passando pelo rali do impeachment…

2) RELATÓRIO ESPECIAL: Perder agora para ganhar depois
Este material prova a necessidade de você ter seguros financeiros.
E, mais importante, aponta exatamente quais ativos você deve comprar agora para proteger a sua carteira.

3) RELATÓRIO ESPECIAL do Lucas de Aragão: produzido pelo sócio e diretor da Arko Advice, uma das mais importantes consultorias políticas do Brasil.
Nele, você encontrará os três cenários projetados pelo cientista político — com as respectivas probabilidades de materialização.

+ Bônus especial:

– Newsletter Daily PRO, com tudo o que precisa saber diariamente, nas primeiras horas da manhã, direto em seu e-mail. O Daily conta com a participação de todos os analistas da Empiricus e traz uma visão dos impactos para o seu bolso dos eventos mais relevantes do dia. Quando vendida separadamente, apenas essa newsletter custa R$ 99,00 por ano

NÃO QUERO PERDER AS OPORTUNIDADES DE LUCRO DO
PALAVRA DO ESTRATEGISTA

Assine por 1 ano – 12x de R$ 12,90

Não há risco algum em você apenas conhecer a assinatura.

Isso porque, durante os primeiros 20 dias, caso você leia o material e, por alguma razão, sinta que ele não atende a seu perfil, basta solicitar a interrupção da assinatura e terá o seu dinheiro reembolsado.

Considere esta oferta seriamente.

Não perca mais tempo para tomar uma das melhores decisões financeiras da sua vida.

Para começar, simplesmente clique em um dos botões abaixo, que irá levá-lo a uma página 100% segura para confirmar a sua assinatura.

Sua ordem será processada imediatamente, e você terá acesso a todo o nosso trabalho na mesma hora.

Estamos transformando a cultura de investimentos no Brasil.

Gostaríamos de tê-lo junto nessa jornada.

Acredite, você tem muito a ganhar.

Seja bem-vindo,

Assine por 1 ano – 12x de R$ 12,90

Assine por 3 anos – 12x de R$ 38,70

MELHOR OFERTA
Assine pelo RESTO DA VIDA – 12x de R$ 38,70

 

Informações Importantes:

Os conteúdos da Empiricus visam informar o seu destinatário sobre matérias relacionadas a economia, finanças e investimentos. A Empiricus se exime de qualquer responsabilidade sobre eventuais prejuízos que o destinatário de seus conteúdos tiver em decorrência da sua tomada de decisão. Embora a Empiricus forneça informações sobre investimentos, fundamentadas sob avaliação criteriosa, não se pode antecipar comportamentos. Padrões, histórico e análise de retornos passados não garantem rentabilidade futura. Todo investimento financeiro, em maior ou menor grau, embute riscos que podem ser mitigados mas não eliminados. A Empiricus alerta para que nunca sejam alocados em renda variável aqueles recursos destinados a despesas imediatas ou de emergência, bem como valores que comprometam o patrimônio do assinante. A Empiricus é uma publicadora de conteúdos, totalmente dissociada do sistema de distribuição de valores mobiliários, e, por conseguinte, não obtém nenhum tipo de receita advinda de comissões, corretagens ou emolumentos sobre montantes eventualmente aplicados. A Empiricus zela pelo direito de privacidade dos seus leitores.


A Empiricus foi fundada em 2009 com um objetivo: levar conteúdos financeiros independentes
e de qualidade para a pessoa física.

Hoje, nossa equipe conta com mais de 200 colaboradores.
Afinal, somos uma empresa de pessoas e produzir conteúdo relevante para a sua vida financeira não é tarefa fácil.

Mas a Empiricus não é apenas a sua equipe, somos os mais de 180 mil assinantes das publicações.
Para conhecer algumas dessas histórias, acesse https://www.empiricus.com.br/depoimentos

Se quiser saber mais sobre a Empiricus, acesse nosso site em www.empiricus.com.br ou envie um email para relacionamento@empiricus.com.br.

A Empiricus apoia

 

Uma empresa associada à Agora Companies


Maior grupo de publicações financeiras do mundo, com mais de 2.700.000 assinantes

Empiricus
CNPJ 11.431.155/0001-07
Copyright © 2009 – 2019

Av. Brigadeiro Faria Lima, 3.477
Torre B - 10º Andar
CEP 04538-133 - Itaim Bibi - São Paulo

Relacionamento com o assinante
Telefone(s): 4003-3117 | 4003-3118
(ligação local)