O ex-presidente cresce a cada dia nas pesquisas e seu retorno em 2018 pode trazer prejuízos definitivos aos seus investimentos

Saiba exatamente o que você precisa fazer AGORA para se proteger daquilo que pode ser o maior pesadelo para suas finanças nos últimos 27 anos

Caro leitor,

Meu nome é Caio Mesquita, sou sócio-fundador e CEO da Empiricus.

Em 2014 quando todos estavam otimistas, alertamos sobre O Fim do Brasil. Você já conhece os resultados daquele alerta.

Em 2015, vimos uma oportunidade de ganhos com a retomada da Bolsa e com o Tesouro Direto no Brasil. Acertamos novamente.

Com isso, nossos assinantes puderam aproveitar oportunidades que fizeram o seu patrimônio se multiplicar em poucos meses.

Nós não seguimos o conforto do senso comum.

Às vezes, nossas análises causam incômodo. Mas JAMAIS deixaremos de estar do seu lado.   

Por isso, dada a gravidade da situação, preciso fazer um novo alerta:

Um cenário desastroso para 2018 está ganhando forma. Isso pode arruinar seu patrimônio, trazendo consequências para você e para a sua família.

Vemos nuvens carregadas no horizonte.

A maior ameaça às suas finanças desde o início dos anos 90.

Apontarei cada um dos 5 pontos que tornam o Lula 2018 um risco urgente ao seus investimentos.

Não importa se você tem imóveis, títulos públicos ou se seu dinheiro está em um grande banco.

Você precisa saber que seu patrimônio está sob ameaça.

Não pense que o problema é só para outubro de 2018. Você precisa agir já.

Senão, quando menos esperar, seu patrimônio terá sido corroído por esse efeito eleitoral devastador.

Parece exagerado? 

Lembre-se das seguintes manchetes:

Fonte: O Estado de S. Paulo

Fonte: Globo

Fonte: Agência Estado

Elas dispensam comentários. Pelo menos por ora.

Agora, veja o gráfico de evolução dos candidatos em um dos cenários possíveis para as eleições de 2018:

Observe a linha vermelha. O candidato à presidência pelo PT praticamente DOBROU o seu percentual de intenção de votos desde março de 2016.

As delações da Odebrecht, os 5 processos em que Lula é réu, as acusações do MPF e da PF… nada parece afetar a popularidade do ex-presidente.

Pelo contrário, Lula vive um período em que assiste à sua rejeição cair e às suas intenções de voto crescerem.

Muitos depositam no juiz Sérgio Moro as esperanças de vê-lo afastado definitivamente da disputa.

Mas eu mostrarei neste documento inédito que Lula será candidato sim, pois Moro não tem tempo hábil para impedi-lo.

O que o patrimônio da sua família tem a ver com a volta de Lula em 2018?

Ocorre que não estamos mais falando do “Lulinha paz e amor” de 2003.

O Lula da carta aos brasileiros publicada em 2002, para acalmar o mercado, já era.

O Lula de 2017 é o Lula da Condução Coercitiva;

É o Lula que ataca em público, dizendo que a jararaca está viva;

É o Lula que fala em prender jornalistas;

Esse Lula vingativo e sem nenhum apreço pelas instituições é o Lula que não para de crescer nas pesquisas.

Veja o que ele declarou recentemente em entrevista ao Kennedy Alencar, no SBT:

“Eu serei candidato. E lhe direi mais: eu agora quero ser candidato. É importante. Eu agora quero ser candidato a presidente da República.”

Ao ser indagado sobre o mercado financeiro, Lula deixou claro:

“O mercado deve temer sim a minha volta.”


Fonte: Blog do Kennedy

Veja agora manchete do portal UOL de 25 de abril deste ano:

Nesse discurso, Lula fala sem nenhum pudor:

“Aqui vai um recado: nós temos que dizer que nós vamos ter que regulamentar os meios de comunicação…”

O que exatamente o ex-presidente entende por regulamentar os meios de comunicação?

Talvez possamos intuir com base no que Lula já disse a respeito do nosso vizinho latino-americano:


Fonte: Folha de S.Paulo

O resultado dessa “democracia em excesso” transborda das imagens que chegam de Caracas…

Lula ameaça a tudo e a todos. Ele parece não fazer nenhuma questão de se apresentar como um candidato ponderado, que traria união ao Brasil.

Pelo contrário, ele prega um discurso revanchista e atulhado de ódio.

Para piorar, o líder máximo do PT sabe que, se voltar ao Planalto, nunca mais poderá abrir mão do poder. Dilma lhe ensinou isso.

Devemos considerar até mesmo a hipótese de Lula se tornar uma espécie de Nicolás Maduro ou de Evo Morales.

Em uma possível volta do ex-presidente ao Planalto, você acha que ele aceitaria deixar o poder e seu foro privilegiado?

Um Lula presidente concordaria em encerrar o mandato e voltar para as mãos de Sergio Moro?

Afinal, onde você e o patrimônio da sua família entram nesta história?

Como o crescente avanço de Lula pode colocar seus investimentos em risco?

Explicaremos exatamente por que o atual cenário político é uma forte ameaça a seus investimentos.

Você saberá o que fazer hoje mesmo para se proteger do que pode ser visto como o maior perigo para suas finanças nos últimos 27 anos.

Nossa única preocupação é com a sua tranquilidade financeira.

Por isso, não deixaremos nenhum cenário de fora.

Se existem 99 possibilidades de sucesso e apenas UMA de catástrofe, nós temos o dever de alertar você, para que possamos nos preparar.

Vamos entender agora por que a volta de Lula pode arruinar, em pouquíssimo tempo, tudo o que você construiu durante anos.

A Maior Ameaça ao seu Patrimônio
desde a Eleição de Collor

Existe um cenário se formando. Ele é catastrófico para seus investimentos.

Um problema capaz de atingir a TODOS os brasileiros. Desde quem tem R$ 1 mil até quem possui R$ 10 milhões.

Ninguém ficará alheio a uma possível vitória de Lula em 2018.

Se você não estiver preparado, o resultado pode ser sua falência.

O mais grave é que o processo pode ser engatilhado a qualquer momento. Quando isso ocorrer, não adianta mais tentar se proteger.

Precisaremos atuar já, no primeiro dos 5 estágios que ameaçam seu patrimônio:

1. CRIAÇÃO DO TERREMOTO

É importante que você entenda um ponto fundamental do plano de Lula e do PT para que ele retorne ao poder em 2018.

Lula PRECISA do caos econômico nos próximos meses.

Veja que curioso: enquanto eu preparava este documento para trazer todos os pontos relevantes, essa criação da instabilidade mirando as eleições começou.

Em 28 de abril, as centrais sindicais convocaram uma greve geral.

Como os sindicatos controlam o transporte público, não é muito difícil trazerem o caos para as grandes cidades.

Soma-se a isso os ditos movimentos sociais colocando fogo em pneus para interditar as principais vias do País…

O resultado é um País amedrontado por poucos que querem fazer arruaça.

A lógica é simples.

Grupos que conseguem mobilizar uma massa de militantes receberam rios de dinheiro do Governo Federal durante os 13 anos de administração petista.

A fonte secou e eles estão sedentos para reativar a boquinha.

Já os sindicatos, esses estão vendo o imposto que mantinha toda a sua mamata ser extinto e querem fazer alguma coisa.

Do outro lado, temos o Lula (e a cúpula do PT) que sabe que a única chance para salvar o partido é colocar fogo no País até que se inicie o período eleitoral.

A famosa política do quanto pior, melhor, nunca fez tanto sentido.

E, antes que você pense que o ato do final de abril foi isolado e que não há razões para acreditar que Lula incentivaria a criação da instabilidade, veja esta chamada:

A militância já começa a inflamar o discurso de que é preciso parar o País.

Mesmo que não tenha adesão popular — o que eu acho que não terá mesmo — uma constante tentativa de parada dos meios de produção pode afetar ainda mais uma economia que tenta se recuperar da pior recessão de sua história.

Meios para promover a parada dos transportes públicos e das principais vias, nós sabemos que Lula tem.

Mesmo sem adesão popular, a nefasta proposta de parar o Brasil prejudica demais o atual governo e nossa economia.

A antecipação desse acirramento de ânimos e do processo eleitoral só beneficia o ex-presidente.

Veja que ele já se declara candidato e sai livremente em campanha pelo País, mesmo sendo vedado por lei:

Fonte: Estado de S. Paulo

Com essa narrativa de ser o “candidato do povo perseguido pelo juiz malvado que quer entregar o pré-sal aos imperialistas”, Lula segue despejando insultos por todos os lados.

Até o velório de sua esposa foi usado como palanque.

Fonte: Veja

Para ele, é de suma importância que o processo eleitoral seja antecipado. Assim, Lula coloca mais pressão em qualquer decisão que o judiciário for tomar com relação a uma possível condenação.

E é justamente essa questão judicial que nos leva ao segundo ponto…

2. LULA É CANDIDATO, APESAR DO JUIZ SERGIO MORO

Como eu já disse anteriormente, a candidatura de Lula não depende de Sergio Moro.

Mesmo que condenado em todos os processos que tramitam na Vara de Curitiba, Lula só ficaria impedido de concorrer se sentenciado em segunda instância.

Ele contratou uma banca com alguns dos mais renomados advogados do Brasil com um objetivo: protelar o processo ao máximo.

Chicana atrás de chicana. Como no pedido para que sejam ouvidas 87 testemunhas de defesa.

Lula sabe que o tempo é seu aliado. Também sabe que a legislação brasileira é difícil de ser compreendida.

Fonte: El País

As farpas trocadas entre os membros da Operação Lava Jato e os magistrados do STF se tornaram públicas.

Recentemente, enquanto proferia seu voto em favor da soltura de José Dirceu, um ministro do STF declarou que os procuradores da Lava Jato são “jovens que não têm experiência institucional”.   

É evidente que não existe um consenso no judiciário com relação ao trabalho da força-tarefa da Lava Jato.

Além disso, a lei que poderia impedir Lula de ser candidato — A Lei da Ficha Limpa — recebe constantes críticas de membro do Supremo:

Fonte: Folha de S.Paulo

Fonte: Estado de S. Paulo

É nesse cenário de ataques à força-tarefa, críticas ao texto da lei e chicanas de advogados, que Lula segue subindo nas pesquisas.

Quanto mais caótica a situação política parecer, mais ele se fortalece.

Afinal de contas, tudo o que o PT quer é emplacar o sentimento de que todos os políticos são iguais.

Isso ameniza a pressão pública e enfraquece Sergio Moro, fazendo parecer que se trata de uma perseguição política ao ex-presidente.

E toda essa pressão já deu resultados.

Lembra do escarcéu montado por Lula após sua condução coercitiva?

Rodeado de políticos de esquerda e de dirigentes de movimentos sociais, seu discurso com vitimismo e com ameaças foi transmitido ao vivo por canais de TV.

Tudo isso por uma simples condução coercitiva de alguém que já é réu em 5 processos

Imagine se algo maior acontecesse com ele, como uma preventiva…

Tente imaginar a enorme pressão que é feita sobre o judiciário quando o assunto é o ex-presidente…   

Quer uma prova da dificuldade que é mexer com o Lula no Brasil?

Fonte: IstoÉ

Você já se perguntou por que Lula ainda está solto?

Acredita que exista alguma chance de o juiz Sergio Moro pedir a prisão preventiva dele?

Eu acho pouco provável e o efeito prático disso seria ainda mais favorável a Lula. Corroboraria com o discurso de perseguido político.

É importante ressaltar que, para que fique fora do pleito eleitoral, não basta estar preso. É preciso ser condenado em segunda instância. 

Sabe quem precisa referendar uma sentença de Sergio Moro para que Lula fique fora da eleição?

O tribunal da 4ª Região, situado em Porto Alegre.

O mesmo tribunal que há poucos dias proferiu a seguinte decisão:

Fonte: Veja

O Juiz Sergio Moro havia obrigado Lula a estar presente em todas as 87 oitivas. Isso seria uma forma de fazer o ex-presidente repensar essa estratégia, que é puramente uma chicana.

O que a instância superior decidiu?

Que Lula não precisa comparecer.

Penso que, diante de toda a pressão que o juiz Moro vem sofrendo, é quase impossível um pedido de prisão antes de os processos serem encerrados.

Porém, o mais grave de tudo isso é a possibilidade de nem mesmo uma condenação em segunda instância tirar Lula de 2018.

Como já afirmei aqui, a Lei da Ficha Limpa é criticada por magistrados de diversas instâncias superiores.

Não é difícil concluir que a defesa de Lula se aproveitaria dessa falta de consenso em torno da lei para recorrer.

Chegando ao STF, um pedido desse tipo pode resultar em qualquer decisão.

Inclusive, em uma que Lula é liberado para concorrer até que um de seus processos tenha “decisão transitada em julgado” — o que levaria anos para acontecer.   

Agora, se você dá como certa a prisão de Lula em breve, pois uma condenação de Sergio Moro e uma confirmação pelo colegiado de Porto Alegre na segunda instância garantiriam isso, saiba que a situação pode mudar.

Na última vez que deliberou sobre o assunto, a votação no STF foi de 6 a 5.

A qualquer momento pode ocorrer uma mudança nesse entendimento e tudo voltar a ser como era até 2016.

Garantindo ao réu permanecer em liberdade até que não caiba mais recurso.

Em todo o decorrer desse processo, nós ficaremos aguardando sem a certeza de quais serão os candidatos em 2018.

Isso já é mais do que suficiente para causar estragos na economia.

Mostrarei, em seguida, as consequências práticas para o seu bolso e para o patrimônio da sua família.

Porém, o mais grave é o que Lula fará ao ser eleito.

3. A GUINADA À ESQUERDA

Como já falamos, o Lula 2018 nada tem a ver com aquele que venceu José Serra na eleição de 2002.

O primeiro mandato de Lula como presidente foi marcado pela continuidade do tripé do governo FHC (câmbio flutuante, metas de inflação e superávits primários) e uma agenda de rigor fiscal.

Combinadas com um cenário internacional de alta do preço das commodities, essas medidas ajudaram a disparar o ciclo de crescimento que o País viveu nos anos seguintes.

No entanto, os estímulos do segundo mandato, adotados para se contrapor aos efeitos da crise de 2008, saíram de controle e corroeram o cenário fiscal.

Soma-se isso aos erros de Dilma na condução econômica e à crise política, temos a recessão atual.

Mas talvez você ainda esteja em dúvida: Será que o Lula 2018 não poderia ser o mesmo de 2003?

A resposta é: definitivamente não.

As sinalizações de que Lula seria um presidente ainda mais à esquerda vem da sua tentativa frustrada de virar ministro e conseguir foro especial em 2016.

Utilizando a CUT como porta-voz, Lula sabia que mudar radicalmente seria sua única saída caso conseguisse o controle da Casa Civil.

Na ocasião, uma gravação divulgada por Sergio Moro impediu que esse plano fosse colocado em prática.

Fonte: Estado de S. Paulo

Fonte: Infomoney

Ao se sentir acuado e sem o prestígio que já tivera em Brasília, Lula buscou na camada mais radical do PT o apoio que precisava.

Na mesma época da tentativa de colocar Lula na Casa Civil do governo Dilma, o PT publicou um documento com 22 propostas.


A estrela do evento? Sim, o próprio Luiz Inácio Lula da Silva.

O documento é extremamente preocupante e digno de ter sido produzido por aqueles partidos radicais que não têm nenhuma chance de chegar ao poder.

Mas não é o caso. Trata-se das propostas de quem lidera todas as pesquisas de intenção de votos.

Entre os pontos defendidos por Lula e pelo Partido dos Trabalhadores, estão:

  1. Recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF);
  2. Aumento da tributação de juros sobre capital próprio;
  3. Normatização dos acordos de leniência para empresas cujos executivos ou acionistas estejam envolvidos em delitos contra a ordem econômica ou casos de corrupção;
  4. Aumento do imposto sobre doações e grandes heranças;
  5. Utilização de parte das reservas internacionais;
  6. Distribuição de terras para trabalhadores acampados;
  7. Tributação sobre lucros e dividendos.

Para ficar em apenas alguns exemplos.

Então, como se não pudesse piorar, junte isso à tara que o Partido dos Trabalhadores tem em controlar a imprensa:

Fonte: UOL

Fonte: O Globo

O que Lula está propondo é a velha fórmula do Estado gigante controlando todos os setores da economia.

O resultado disso todos nós conhecemos.

Temos ótimos exemplos do “sucesso” dessas políticas nos vizinhos latino-americanos.

E isso não vem de agora.

Você deve lembrar que Lula já havia iniciado esse processo lá atrás. 

Com o uso do BNDES para promover os campeões nacionais, com a contabilidade criativa maquiando o déficit e com políticas artificiais de promoção de crédito, o PT já experimentou o início dessa guinada à esquerda a partir de 2009.

Só que aquele PT travestido de amigo do mercado não existe mais.

O PT e o Lula de hoje se sentem traídos pelo establishment e se alinham à extrema esquerda para colocar fogo no País.

O Lula de maio de 2017 fala em prender jornalistas caso seja eleito.

Fonte: O Globo

“Essa mesma imprensa que dizia que o PT acabou, dizia todo dia: amanhã, o Lula vai ser preso. Faz dois anos que eu ouço isso. Se eles não me prenderem logo, quem sabe um dia eu mando prendê-los por mentir.”

É estarrecedor o que Lula e sua turma estão fazendo com as instituições no Brasil.

Veja o que disse aquele que já foi o homem forte dentro do PT e dentro do Governo Lula, assim que deixou a cadeia por ordem do STF:


Fonte: Valor Econômico

A Fala de José Dirceu é precisa ao expressar o plano do PT para os próximos meses.

Conflito, guerra, polarização, guinada à esquerda, mobilização social, reformas estruturantes, programa verdadeiramente de esquerda…

Dirceu mandou o recado.   

A guinada à esquerda é vista como sem volta pelo partido.

O processo já se iniciou.

O exército de militantes serviria para dar respaldo popular a um futuro governo populista e autoritário.

Satisfazer os desejos da extrema esquerda é a única alternativa de Lula. 

Você vê alguma semelhança com o que está acontecendo na Venezuela?

4. ECONOMIA E POLÍTICA DE MÃOS DADAS

Esse plano que está sendo colocado em prática impacta diretamente você.

Suas economias, seus bens, o preço dos produtos, tudo será afetado pela presença de Lula em 2018.

A razão disso é que, nos últimos anos, o mercado brasileiro parece ter abandonado os fundamentos econômicos e é pautado apenas por uma questão: o ambiente político.

Não quero entrar nos detalhes do economês. Meu objetivo é ser o mais direto possível neste alerta urgente.

Mas, apenas para ilustrar o que estou dizendo, veja o gráfico do Ibovespa desde janeiro de 2015:

É possível notar uma relação direta entre os fatos políticos e o humor da Bolsa.

Mas não se trata apenas de Ações. Se fizermos a mesma análise com o gráfico de dólar, temos resultado semelhante:

Neste ponto é importante você entender bem que o nervosismo do mercado afeta a todos os brasileiros.

Não pense que, por talvez hoje você não ter dinheiro em Bolsa ou em dólar, você está imune dos solavancos financeiros.

Tudo está relacionado.

A curva de juros, o rendimento do fundo no banco, a rentabilidade do Tesouro Direto. Tudo é afetado quando ocorre um nervosismo no mercado financeiro.

Nenhum dos eventos sentidos nos últimos anos se compara ao que está por vir. 

Pense no que acontecerá com uma materialização da candidatura de Lula 2018…

Pra onde iria o capital estrangeiro na Bolsa?

O que aconteceria com as Ações de empresas públicas, como Petrobras, Banco do Brasil etc?

O investimento privado e os empregos?

A inflação que corrói seu poder de compra?

E a taxa de juros cobrada de empréstimos?

Toda a economia caminharia para o abismo e o seu patrimônio estaria em risco.

A maior ameaça ao seu dinheiro dos últimos 27 anos.

Você ainda não começou a sentir os efeitos de Lula 2018, pois toda a confiança é depositada em Moro e nos procuradores de Curitiba para que o ex-presidente seja preso e suas pretenções políticas enterradas.

Mas você apostaria hoje todo o seu dinheiro nisso? Você consegue ter certeza de que Lula é carta fora do baralho eleitoral?

Lula é um risco real ao patrimônio da sua família.

E, para que você não seja surpreendido, é muito importante que você entenda que:

5. O SEU DINHEIRO NÃO ESTÁ PROTEGIDO

Você passou por muita coisa nos últimos anos.

Estamos saindo da maior recessão da história brasileira. Você provavelmente já está sentido melhoras nas suas finanças. 

Então pode soar estranho um alerta tão contundente justamente quando você está começando a baixar a guarda e relaxar.

Cuidado. É no momento em que estamos menos preparados que sofremos as maiores derrotas.

Por isso eu reitero: o cenário que está se formando é a maior ameaça ao seu patrimônio dos últimos 27 anos.

E seu dinheiro não está protegido.

Onde você concentra o patrimônio da sua família atualmente?

✗ Fundos ou CDBs do banco

✗ Título Públicos (Tesouro Direto)

✗ Imóveis

✗ Poupança

✗ Ações 

Pois saiba que nenhuma dessas modalidades é suficientemente segura.

O que está se desenhando é algo nunca visto na economia brasileira.

Na já tão fragilizada economia brasileira.

Se você não agir agora, o seu patrimônio pode simplesmente deixar de existir.

Pois estamos falando de uma ameaça sistêmica e, quando algo assim ocorre, todos os ativos — sejam de risco ou considerados seguros — acabam ruindo.

Mas não pense que só lhe resta ficar sentado assistindo a uma possível destruição das nossas já fragilizadas bases econômicas.

Você pode se proteger de tudo isso.

Eu vou dizer EXATAMENTE o que você precisa fazer para se blindar da ameaça e, além disso, se beneficiar de um possível colapso.

Existem formas de investimento que protegem o seu patrimônio.

Você precisa tomar cada decisão financeira à medida que o jogo de xadrez eleitoral for sendo construído.

Mas, para tanto, é fundamental monitorarmos cada evolução deste processo que pode culminar no retorno de Lula ao Planalto em 2018.

Já tivemos uma prévia deste
cenário em 2002

Quando eu falo de um desastre sistêmico nos fundamentos econômicos, me refiro a situações que são extremamente difíceis de serem descritas.

Tanto pelo ineditismo, como pelo impacto emocional que podem causar.

Tente imaginar como seria para alguém, em 1989, descrever para a população o desespero e a angústia de um confisco do dinheiro de todos os cidadãos.

Provavelmente ninguém conseguiria narrar com exatidão o que foi sentido na pele por milhões de brasileiros nos meses seguintes.

Meu objetivo não é levar pânico. Pelo contrário, estou aqui para colocar luz a uma questão fundamental para o seu futuro financeiro.

Para tentar dar uma dimensão da gravidade, vamos usar como paralelo o próprio cenário gerado por Lula no passado.   

Em 2001, faltando o mesmo tempo que hoje para a próxima eleição, o dólar oscilava na casa de R$ 2,30.

À medida que Lula se fortalecia nas pesquisas, o cenário se tornava mais complicado.

Alguns meses depois, a cotação da moeda americana batia R$ 3,99. Um aumento aproximado de +75%.

Chamado na época de Efeito Lula.

Seria o mesmo que se o dólar hoje chegasse a R$ 5,60.

Já imaginou o impacto na inflação com o dólar disparando +75%? Ou para onde iriam o risco Brasil, a Bolsa, os juros… 

Por falar em Bolsa, o Ibovespa derreteu -42% em 2002.

Algo dessa magnitude afeta não apenas quem tem dinheiro diretamente em Bolsa, mas o sistema financeiro como um todo.

Quando algo assim começa, os resultados destrutivos vêm em poucos dias.

Quando os jornais começam a noticiar, significa que pouco ainda pode ser feito.

O pânico já tomou conta do mercado financeiro e todos tentam salvar o que podem a qualquer custo.

Os menos informados e pouco preparados são os que mais sofrem. Imagine quem vai depender do gerente do banco para se livrar de uma situação de catástrofe como essa.

Provavelmente se esse for seu caso, você verá boa parte do que levou muito tempo para construir ser destruída em poucos dias.

O mais assustador é que, em 2002, não havia nenhuma declaração de Lula em tom de ameaça. Lula não falou em guinada à esquerda, não falou em prender jornalistas…

O Lula de 2017 é extremamente ameaçador.

Pense num novo governo Lula pós-Lava Jato. Com praticamente toda a cúpula do partido tendo enfrentado processos criminais recentemente…

Pense numa administração que pode contar com os conselhos de José Dirceu, Antonio Palocci, Guido Mantega…

Não é exagero quando afirmo:

Um cenário desastroso para 2018 está ganhando forma. Isso pode arruinar seu patrimônio, trazendo consequências para você e para a sua família.

Sei que esse meu alerta trará muitas angústias pessoais.

Seremos atacados pela militância. Vão dizer que estou fazendo isso a serviço do partido A ou do B. Talvez até digam que a CIA patrocina secretamente a Empiricus.

Mas saibam que não me calarei.

Não temos preferência por nenhum partido. Nosso posicionamento é de sempre preferir candidatos comprometidos com uma agenda mais liberal e com menos interferência estatal na economia.

Pois entendemos que, dessa forma, cria-se o ambiente ideal para os investimentos voltarem, o País prosperar e nossos clientes lucrarem mais num cenário de mercados em alta.

Mas, nossas recomendações também podem gerar dinheiro para nossos assinantes em momentos de extrema dificuldade.

Continuaremos aqui seja qual for o próximo presidente.

O fundamental é sempre antecipar possíveis cenários e agir para se proteger ou para lucrar.

Sempre falaremos aquilo que pensamos e nosso foco sempre estará em você, nosso leitor.

Um Reforço de Peso na
Análise Política

Somos especialistas em análises e recomendações financeiras. Foi com esse objetivo que fundei, juntamente com Felipe Miranda e Rodolfo Amstalden, a Empiricus em 2009.

Mas, como eu já apontei anteriormente, o cenário político não pode ser ignorado.

Pelo contrário, acredito que a política pautará os movimentos econômicos nos próximos meses.

Apenas entendendo cada passo do processo eleitoral é que conseguiremos proteger você e sua família de um desastre financeiro. 

Por isso, trouxemos um nome da empresa que mais entende do assunto no Brasil — a Arko Advice — para escrever uma Série Especial sobre Cenários Políticos.

Diretor de Comunicação e sócio da Arko Advice, Lucas de Aragão é formado em Ciência Política pela UniDF e mestre em Campanhas Eleitorais e Governo pela Fordham University (Nova York).

Venceu, em 2013 e 2014, os prestigiados Pollie Awards, entregues anualmente pela Associação Americana de Consultores Políticos aos principais estrategistas políticos do mundo.

Fundada em 1982, a Arko Advice é a principal empresa brasileira de análise política.

Nesta parceria inédita, a Empiricus contará com a expertise de Lucas na análise dos cenários políticos para hoje e, principalmente, para os próximos meses e anos.

Lula será mesmo candidato?

O STF pode afastar nomes da disputa?

Quais reformas serão aprovadas até 2018?

Michel Temer termina o mandato?

Quais riscos a Lava Jato está correndo?

Lucas trará a resposta para essas e muitas outras perguntas numa série especial produzida exclusivamente para os assinantes da Empiricus.

Direto de Brasília, ele e sua equipe vão traçar um panorama das reais chances de caminharmos para um cenário destrutivo nos próximos meses.   

E, de posse dessa análise — a que você também terá acesso imediato — a Empiricus produzirá as medidas que você precisa adotar hoje mesmo.

Um tipo de serviço acessível apenas a grandes empresas e a investidores muito qualificados.

Mas que a Empiricus disponibilizará a você sem nenhum custo adicional.

É o incentivo que faltava para você tomar a decisão de se proteger da maior ameaça dos últimos 27 anos.

Como você terá acesso à série capaz de proteger o
patrimônio da sua família?

Assim como um acesso no Netflix, no Spotify ou na rede social, você terá login e senha no site da Empiricus.

É nessa área logada que você encontrará todo o conteúdo disponível. Vídeos, relatórios, cursos gratuitos e recomendações com as ações para você tomar agora mesmo.

Cada novo alerta, cada relatório, cada recomendação sobre investimento está na sua área do assinante.

Ao se tornar cliente da maior casa de publicações financeiras do Brasil, você tem uma série de benefícios.

A Empiricus é independente. Não cobramos taxas quando você faz qualquer operação financeira, não temos patrocínios e não recebemos o dinheiro de ninguém para investir.

O assinante é o responsável por fazer as operações. Damos o passo a passo.

Não recebemos nada a mais se um assinante investir R$ 1.000 enquanto outro optar por fazer uma operação com R$ 1 milhão.

Nossa receita é exclusiva da venda de assinaturas.

Ganhamos mais se nossos cliente ficarem satisfeitos e, assim, fizerem novas assinaturas.

Meu interesse é que você se proteja e ganhe dinheiro.

Vou explicar exatamente o que você precisa fazer agora…    

A Empiricus tem dois principais regimes de assinaturas. As anuais e as vitalícias.

Como os nomes sugerem, uma delas tem validade de 12 meses, e a outra é para sempre.

A historicamente mais vendida para quem nunca acompanhou relatórios antes é a anual. Porém, a maioria dos assinantes faz a migração para vitalício ao longo do ano.

Aí depende do perfil de cada pessoa.

O fato é que o valor é quase simbólico.

Um ano da assinatura da série Palavra do Estrategista, que contará com os relatórios especiais sobre o cenário político, custa apenas 12 vezes de R$ 12,90.

Para pagamento à vista no cartão, você ainda recebe 5% de desconto adicional.

Pelo equivalente a 3 anos de assinatura, você pode garantir seu acesso aos relatórios para sempre.

Como saber quais serão os cenários e as possíveis estratégias para uma eleição lá em 2022? Os assinantes vitalícios já têm os futuros relatórios assegurados.

E você pode ter também.

Só precisa agir agora.

Estamos diante de um cenário de ameaça que não se via há 27 anos.

Ficar alheio a isso pode arruinar o patrimônio da sua família.

Vou recapitular tudo o que você levará a partir de agora clicando em qualquer um dos botões abaixo:

Acesso à série Palavra do Estrategista, com recomendações práticas e análises do cenário Macroeconômico.

Série Especial de Lucas Aragão da Arko Advice com os cenários políticos que estão se desenhando.

Newsletter Diária Day One PRO escrita por Felipe Miranda e toda a equipe de analistas da Empiricus (quando vendida separadamente, essa newsletter custa R$ 99,00 por ano).

Guias e vídeos a que todos os assinantes da Empiricus têm acesso para conhecerem mais sobre proteção e investimentos.

 

Tudo isso será seu imediatamente.

Você já saberá o que nossos analistas estão recomendando e poderá agir hoje mesmo.

E o melhor de tudo:

Após ter acesso a todo o conteúdo da sua área de assinante, talvez ache que a estratégia não é adequada para você.

Nesse caso, você perde dinheiro?

De maneira alguma. Em até 20 dias após a assinatura, você pode solicitar o cancelamento com reembolso de 100% do valor pago.

Inclusive, esse benefício que a Empiricus oferece é registrado em Cartório.

Você não tem risco algum em pelo menos conhecer a assinatura.

Ainda aproveita o acesso ao Kit Básico do Assinante Empiricus na área logada para assistir a cursos em vídeos, monitorias para tirar dúvidas e muito mais.

Também pode ler as revelações dos primeiros relatórios de Lucas Aragão sobre o ritmo de aprovação das próximas reformas no governo Temer.

Posso assinar, ver todo o conteúdo e depois pedir reembolso?”

Pode sim. A Empiricus não se tornou a maior publicadora de análises de investimentos do Brasil obrigando os clientes a ficar com algo que não é do seu perfil.

Aqui, liberdade é fundamental. Você fica se gosta.

E, apesar de todas as facilidades para receber reembolso, o natural é que o assinante permaneça e ainda adquira novos planos no futuro.

Assim como acontecerá com você. 

Mas você precisa tomar uma atitude agora.

“Antes de mais nada queria agradecer a Empiricus por me ajudar a entender melhor o panorama atual do Brasil. Fiz mudanças de rota que nunca imaginaria fazer em meus objetivos financeiros.” 

Walter N.

Alguma vez você esteve diante de uma oportunidade que avalia os cenários que podem impactar seu patrimônio e diz exatamente o que fazer, por um preço tão barato?

Você não viu errado. São apenas R$ 12,90 mensais e mais nada.

Você saberá exatamente o que fazer e tomará a melhor decisão financeira para conseguir se proteger e lucrar com o cenário que se aproxima.

Se preferir, adquira a assinatura vitalícia pagando apenas uma vez e garantindo acesso para a vida toda.

É a certeza de ter sempre alguém para alertá-lo dos perigos.

A imprensa cumpre papel fundamental em informar o cidadão. Você pode e deve continuar lendo tudo o que puder a respeito dos assuntos que podem impactar sua vida financeira.

Mas só a Empiricus consegue converter informação em recomendações financeiras práticas de forma independente.

Isso resulta em assinantes informados e que sabem agir.

Um compromisso que firmamos com cada cliente e do qual nunca abriremos mão. 

Com você, esse compromisso começa agora.

Seja bem-vindo à sua nova realidade.

Assine por 1 ano – 12x de R$ 12,90

Assine por 3 anos – 12x de R$ 38,70

MELHOR OFERTA
Assine pelo RESTO DA VIDA – 12x de R$ 38,70

Preparamos algo realmente completo para você saber exatamente onde aplicar seu dinheiro daqui pra frente.

A série Palavra do Estrategista é um best-seller da Empiricus com mais de 100 mil assinantes.

Pessoas comuns como você que pouco entendiam do mundo dos investimentos, mas que passaram a lucrar com melhores estratégias de uma hora para outra.

Como na recomendação às vésperas da eleição de Donald Trump.

Uma operação que traria ganhos caso as pesquisas americanas tivessem enganadas a respeito do verdadeiro potencial da candidata democrata.

O resultado você já sabe, na madrugada de quarta-feira, 9 de novembro, veio a confirmação da vitória de Trump. As Bolsas pelo mundo derreteram.

Mas o assinante Empiricus multiplicou o valor investido justamente enquanto os demais ficavam desesperados.

É esse tipo de análise, considerando possíveis cenários e vendo formas inteligentes de ganhar com eles, que você vai receber ao se tornar assinante.

Não temos bola de cristal. Não sabíamos que Trump iria ganhar. Como também não sabemos quem será o próximo presidente do Brasil.

O que fazemos é retirar de campo nossos desejos e olhar apenas para a matriz de retornos.

Era barato do ponto de vista dos investimentos apostar em Trump, pois poucos acreditavam na sua vitória.

O retorno, caso o cenário se materializasse, era enorme.

Alguma semelhança com que estamos vivendo hoje com Lula?

Pois é…

Quer ter os melhores analistas do Brasil trabalhando para você?

Quer descobrir formas de ganhar, não importa o cenário?

Venha conosco que garanto que você não irá se arrepender.

Assine por 1 ano – 12x de R$ 12,90

Assine por 3 anos – 12x de R$ 38,70

MELHOR OFERTA
Assine pelo RESTO DA VIDA – 12x de R$ 38,70

Um forte abraço,

Caio Mesquita

CLÁUSULA DE CONFIANÇA 100%

Apesar de todas as vantagens já implícitas no material, a oferta em questão não perde a prerrogativa da Cláusula de Confiança Empiricus registrada em cartório: caso você não goste do conteúdo, pode cancelar a assinatura nos primeiros 20 dias com reembolso de 100% do valor pago.

Isso mesmo: você terá acesso imediato a todo o material do plano e ainda permite a possibilidade de cancelar posteriormente, recebendo o seu dinheiro de volta.

Limitado a 3 cancelamentos por assinante em um prazo de 12 meses.

 

 

Informações Importantes:

Os conteúdos da Empiricus visam informar sobre possibilidades de lucro financeiro sugeridas na forma de diferentes estratégias de investimento, eximindo-se a empresa de qualquer responsabilidade sobre eventuais prejuízos do assinante em decorrência da tomada de decisão deste. Embora a Empiricus forneça sugestões pontuais de investimento, fundamentadas pela avaliação criteriosa de especialistas certificados, não se pode antecipar o comportamento dos mercados com exatidão. Padrões, histórico e análise de retornos passados não garantem rentabilidade futura. Todo investimento financeiro, em maior ou menor grau, embute riscos que podem ser mitigados mas não eliminados. A Empiricus alerta para que nunca sejam alocados em renda variável aqueles recursos destinados a despesas imediatas ou de emergência, bem como valores que comprometam o patrimônio do assinante. A empresa não realiza intermediações financeiras, por conseguinte não obtém nenhum tipo de receita advinda de comissões, corretagens ou emolumentos sobre montantes aplicados, delegando ao investidor a exclusiva responsabilidade pela execução de operações junto à respectiva instituição financeira na qual possua conta aberta. Para assegurar a imparcialidade na avaliação dos investimentos, a Empiricus não recebe patrocínios nem veicula publicidade que não a de seus próprios conteúdos. Pessoas que têm dificuldades com limites devem procurar aplicações mais estáveis, como a renda fixa. A título de elevação dos padrões fiduciários e promoção das melhores práticas do mercado, os sócios da Empiricus têm, ou podem vir a ter, posições nos investimentos sugeridos. A empresa zela pelo direito de privacidade dos seus leitores. Quando necessário, seus dados pessoais são alterados com o objetivo de proteger as identidades. No entanto, o conteúdo dos depoimentos apresentados é sempre e garantidamente fidedigno. A presente nota não se sobrepõe à legislação e regulamentação vigentes.


A Empiricus foi fundada em 2009 com um objetivo: levar conteúdos financeiros independentes
e de qualidade para a pessoa física.

Hoje, nossa equipe conta com mais de 200 colaboradores.
Afinal, somos uma empresa de pessoas e produzir conteúdo relevante para a sua vida financeira não é tarefa fácil.

Mas a Empiricus não é apenas a sua equipe, somos os mais de 180 mil assinantes das publicações.
Para conhecer algumas dessas histórias, acesse https://www.empiricus.com.br/depoimentos

Se quiser saber mais sobre a Empiricus, acesse nosso site em www.empiricus.com.br ou envie um email para relacionamento@empiricus.com.br.

A Empiricus apoia

 

Uma empresa associada à Agora Companies


Maior grupo de publicações financeiras do mundo, com mais de 2.700.000 assinantes

Empiricus
CNPJ 11.431.155/0001-07
Copyright © 2009 – 2019

Av. Brigadeiro Faria Lima, 3.477
Torre B - 10º Andar
CEP 04538-133 - Itaim Bibi - São Paulo

Relacionamento com o assinante
Telefone(s): 4003-3117 | 4003-3118
(ligação local)