Espere… você tem mais 5 minutos?

Em algumas linhas, vamos te propor um último presente especial como forma de gratificação por se tornar membro da série XXX.

Caso queira abrir mão desta oportunidade e ir direto ao conteúdo que acabou de adquirir, basta clicar aqui.

Veja a mensagem que temos para você:

Atenção: a Empiricus prioriza a preocupação com a saúde de seus assinantes, leitores, colaboradores e familiares. Fique em casa e proteja sua família. Paralelamente, também é importante pensar em proteger o patrimônio da sua família, dado o impacto que economias, empregos e mercados estão sofrendo. E isso pode ser feito da sua casa, pelo celular ou computador. Esse é o motivo da oportunidade que trazemos hoje para você.
Retornos passados não são garantia de retorno futuro. Investimentos envolvem riscos e podem causar perdas ao investidor.

PRONUNCIAMENTO OFICIAL DA EMPIRICUS

O que você vai ver em instantes é um conteúdo sensível, que vai no sentido contrário ao posicionamento dos principais players financeiros do país. O momento atual é grave e, no nosso entendimento, assim deve ser interpretado. Portanto, se você quer se livrar do risco de ruína financeira, recomenda-se que assista até o final.

Com a propagação do Coronavírus e seus impactos secundários nas cadeias globais de suprimento, a recessão global não é mais uma hipótese. Veja como se proteger do que pode se transformar na maior destruição de patrimônio desde a Crise de 1929, aproveitando, de forma responsável, as eventuais e pontuais oportunidades de lucros que já estão surgindo.

Olá, meu nome é Felipe Miranda, sou financista há quase duas décadas e tenho como dever gravar esta mensagem a você.

Não estou aqui pra falar obviedades ou consensos.

Pelo contrário.

O Posicionamento Oficial da Empiricus, empresa que fundei em 2009 e que, há 10 anos, administro com paixão e obstinação, vai no sentido contrário à opinião de diversos financistas e grandes gestores brasileiros.

Mas é necessário.

No fim do dia, a única coisa que importa é cuidar do patrimônio dos nossos 360 mil assinantes.

Portanto, vamos aos fatos:

O mundo está sofrendo e ainda vai sofrer uma recessão brutal.

O tempo que isso deve durar, ninguém sabe.

Essa é a verdade.

Não há espaço aqui para chutes, elucubrações ou achismos.

Mais de 50 países já fecharam totalmente suas fronteiras…

Fonte: Estadão

9 milhões de funcionários foram demitidos e mais de 600 mil empresas fecham as portas no Brasil…

Somando milhões de fábricas fechadas pelo mundo…

Fonte: CNN Brasil

Fonte: Auto Esporte

Fonte: Icarros

Fonte: Valor Investe

Estima-se prejuízo de bilhões de dólares para diversos setores e mercados ao redor do mundo...

Fonte: G1

Fonte: Exame

Apenas 2% dos vôos mundiais estão operando normalmente…

Fonte: O Globo

E, há quase um trimestre, a pandemia do coronavírus vai se espalhando mais rapidamente que a capacidade de controle de qualquer governo ou nação.

Fonte: Coronavirus App

Já são quase 2 milhões de infectados pela COVID-19 e mais de 120 mil mortes.

Fonte: O Globo

No Brasil, no momento em que eu gravo este Pronunciamento, são mais de 24 mil casos confirmados.

Fonte: G1

A saúde vem em primeiro lugar.

Mas, depois, precisamos, necessariamente, proteger nosso patrimônio.

É para isso que estou aqui hoje.

Para elucidar que a crise de 2008 já não é mais um comparativo para o que estamos vivendo.

A Pandemia do Coronavírus já gerou mais estragos.

E que há um risco real de algo parecido com 1929 estar por vir.

Uma nova crise mundial em que muitos, repito, muitos vão ficar pelo caminho.

Pode soar exagerado agora, mas o risco de ruína financeira existe e precisa ser considerado.

Depois será óbvio.

A grande pergunta a se fazer agora é: o que você está fazendo para se preparar para o pior?

Caro Assinante Empiricus,

Desde o fim de fevereiro, muitas pessoas com dinheiro em Bolsa viram seu patrimônio se dilacerar em questão de poucos dias… poucas semanas…

Sem ter a mínima noção de quando, e se, isso vai parar.

Sofremos uma queda aguda em questão de 1 mês, caindo dos 116 mil pontos, em fevereiro, aos 63 mil pontos em 23 de março:

Depois disso, a Bolsa apresentou consecutivos pregões positivos.

E, no momento em que gravo este vídeo, recuperamos a cotação por volta dos 80 mil pontos.

É exatamente este o meu motivo de preocupação.

Há quem enxergue que o positivo mês de abril representa a recuperação estrutural da nossa economia.

A retomada do Bull Market não só brasileiro, mas o extenso americano, já com uma década de vida.

Eu discordo de tudo isso e vou te explicar por quê.

Mais que isso.

Vou te fazer uma proposta:

Eu vou te passar as instruções do que você deve fazer neste momento.

Pra se blindar totalmente do risco de ruína.

E buscar ainda colher lucros extraordinários com oportunidades pontuais.

Sem você me pagar um único centavo por isso.

Se você achar que faz sentido o que eu vou te dizer e quiser aplicar pra sua vida…

Você contará com um compromisso especial de lucros para os próximos 12 meses.

Não estou te prometendo lucro.

Isso é crime.

Estou me colocando em risco com você.

Os detalhes da proposta vêm depois de eu expor o que enxergo no momento.

Caso você tenha as respostas prontas, do que fazer, de como a Bolsa vai se comportar nos próximos meses, quais ativos comprar ou vender e como se proteger e ainda multiplicar o seu dinheiro ao mesmo tempo, meus sinceros parabéns.

Feche este vídeo agora e te desejo boa sorte, de verdade.

Se você continuou comigo, eu quero compartilhar com você:

  • O que estou enxergando no mercado brasileiro e global;
  • Por que isso pode ferir muito quem não se proteger e beneficiar muito quem se posicionar adequadamente.

Digo que pode ferir muito quem não se proteger pois, como nunca visto antes, está havendo um movimento intenso entre influencers de finanças, gestores principalmente de ações, grupos de investidores em redes sociais e toda a nata de engravatados da Faria Lima ao Leblon, de que toda crise não passa de uma excelente oportunidade de compra de ações.

Mais que isso, existe inclusive uma zombaria em cima dos desesperados, insinuando que a preocupação com a proteção é característica do investidor imaturo, novo, não calejado.

Tem muita gente por aí subestimando o mercado…

Expert por aí só falando em oportunidades…

Os principais youtubers de finanças do país mandando todos seus seguidores irem às compras…

E investidores gananciosos achando que são mais espertos que a maioria…

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Uma imagem contendo facaDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Uma imagem contendo pássaroDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

A maioria das pessoas tá realmente enxergando tudo que tá acontecendo como uma baita oportunidade de compra de ações.

O que, na minha opinião, é uma completa falta de responsabilidade.

É uma completa falta de humildade também.

Uma coisa a dizer: CUIDADO.

A primeira questão que reforçamos para TODOS os nossos assinantes: não tente "time the market" neste momento.

Assim como instruímos para não tentar pegar a faca caindo, não tente adivinhar até onde a Bolsa pode subir, temos uma pandemia lá fora e ninguém sabe ainda o tamanho do estrago que ela está provocando na economia

Ninguém tem controle sobre uma Pandemia a ponto de tentar acertar o fundo do poço e o ponto exato de virada - esqueça isso.

Ou melhor, entenda a profundidade do problema que estamos enfrentando pra enxergar o quão leviana é uma postura dessa.

É totalmente impossível prever o fim de uma queda ou o topo de uma alta.

E, desta vez, é ainda pior.

Porque ainda não ocorreu a essas pessoas que…

PODEMOS ESTAR DIANTE DE UMA CRISE DE CRÉDITO…

Que pode empurrar o Ibovespa muito mais pra baixo e levar o dólar ao patamar de R$ 6.

Não quero soar alarmista aqui.

Quero apenas afirmar que o risco existe e não pode ser ignorado.

Basta uma pequena probabilidade existir, pra milhares de pessoas perderem tudo que conquistaram durante anos.

Aí você pode me perguntar..

"Mas, Felipe, historicamente, as Bolsas mundiais recuperam suas quedas em questão de alguns anos. Ou seja, é só ter paciência e pensamento a Longo Prazo, não?"

Corretíssimo.

Paciência. Pensamento a Longo Prazo.

Duas virtudes que eu sempre defendi.

Mas em relação à recuperação das Bolsas, há uma questão que pouquíssimos enxergam.

E que muda tudo.

Deixa eu te mostrar uma imagem:

Em verde escuro, estão as grandes quedas da nossa Bolsa de Valores desde a sua criação.

Aí em cinza vem o resultado da Bolsa depois de 1 ano.

E em amarelo depois de 2 anos.

Obviamente, em 2020, temos a última queda que estamos vivendo, por conta do coronavírus e claro, não temos as colunas seguintes porque a história ainda está no futuro.

É ainda pior que isso, pois não sabemos ainda como vai ficar a coluna da queda, pode ser muito maior.

Agora, pense bem…

Sabendo que nos últimos 5 bear markets, que é como chamamos os momentos de queda brusca como o que vivemos agora, a Bolsa praticamente dobrou em questão de um ano.

E, depois de 2 anos, todas elas mais que dobraram de valor, algumas até quadruplicando, como no caso de 1995...

Essa imagem te passa uma ideia positiva, no sentido de que, quem tem dinheiro em Bolsa vai certamente recuperar o prejuízo em questão de 1 ou 2 anos?

Se você respondeu sim, talvez você precise olhar essa questão por outro ângulo.

Vamos pegar 2008, somente como exemplo:

Vamos supor que você tinha 100 mil reais em Bolsa.

A bolsa caiu 60%.

Você foi pra R$ 40 mil de patrimônio.

Um ano depois, a Bolsa se valorizou 115%.

Sabe o que aconteceu com o seu dinheiro?

Cresceu de R$ 40 mil pra R$ 86 mil.

Você não teria recuperado o que perdeu, mesmo com a Bolsa mais do que dobrando no período.

É uma questão meramente matemática.

Quando você perde 60%, você precisa de uma valorização de 150% para voltar ao patamar atual.

Ou seja, no caso de 2008, nem em 2 anos, com uma multiplicação de 140% do Ibovespa, você teria recuperado seus R$100 mil originais.

Parece estranho, mas é só fazer as contas.

Quanto mais você perde, maior a valorização necessária somente pra voltar ao patamar anterior:

Fonte: Empiricus

Veja, se a queda for de 90%, você precisará multiplicar o seu dinheiro por 10 vezes para recuperá-lo.

É por isso que minimizar a sua perda é de extrema importância.

É por isso que, ao contrário do que os especialistas andam pregando por aí, o quanto a Bolsa ainda pode cair importa sim.

Foi por isso que, ao identificar que poderíamos cair muito mais, mudamos o posicionamento de todas as carteiras da Empiricus.

Aumentando proteções e diminuindo a exposição à Bolsa.

Proteger seu patrimônio em bear markets é diminuir a velocidade do carro na curva em dia de chuva.

É necessário.

É responsável.

É essencial para evitar a ruína financeira.

E, infelizmente, contra a minha vontade, eu preciso afirmar: há boas chances de que a Bolsa volte a cair ainda.

E eu vou te dizer por que em instantes.

Antes, só preciso que você absorva uma única ideia do meu pronunciamento de hoje:

O momento ainda exige seriedade e responsabilidade.

O momento não é de sair comprando Bolsa a qualquer custo.

Existem sim, algumas, pontuais, específicas ações que devem sofrer menos com a crise e podem ser compradas.

Mas desde que você siga algumas instruções e princípios…

Desde que você esteja protegido na maior parte do seu patrimônio…


Desde que você saiba quais são essas empresas e como lidar com esses investimentos de risco.

É isso que eu quero fazer por quem aceitar a minha proposta hoje.

Eu quero, junto de você, me comprometer pelos seus resultados financeiros nos próximos 12 meses.

Os detalhes desse comprometimento virão em instantes.

Quem estiver comigo vai receber as instruções que buscam se blindar do perigo que pode vir.

E se não vier, que bom.

Estaremos preparados da mesma forma pra surfar a recuperação.

Como sempre fiz e venho fazendo aos meus leitores desde 2014.

Quando alertamos, por exemplo, a evitar as ações da Petrobras, pouco antes do início de seu derretimento.

Também recomendamos vender ações de construtoras às vésperas de problemas emblemáticos de estouro de orçamento, parcerias mal feitas e de práticas que desrespeitavam os acionistas minoritários.

Evitamos com isso prejuízos da ordem de até 83%.

Alguns de nossos leitores ficaram ricos apostando na queda das ações de Petrobras ou de grandes incorporadoras à época.

Outros ganharam bom dinheiro seguindo a recomendação de comprar dólar a R$ 1,90 e depois vendendo acima dos R$ 4.

No final de 2015, lancei a tese "A virada de mão", por enxergar que as ações estavam baratas demais e era hora de comprar algumas delas.

Foi quando criei a carteira de ações Oportunidades de Uma Vida que, desde então, acumula ganhos de mais de 278%, mesmo com as quedas recentes dos últimos dias.

Mapa com linhas pretas em fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Esses 278% envolveram períodos de bastante incerteza, como o Joesley Day, em 18 de maio de 2017, e a greve dos caminhoneiros, em junho de 2018.

Mesmo assim, meus leitores continuam lucrando.

Talvez mais que qualquer outro brasileiro com grana em qualquer outro investimento e o mérito não é só meu, é de toda minha equipe.

A maior e melhor do Brasil, com mais de 34 especialistas obstinados em entregar resultado.

Em outras palavras, nossos assinantes puderam lucrar mesmo num ambiente extremamente desafiador para o mercado de capitais.

Que seja de meu conhecimento, não há uma única empresa de pesquisa e/ou consultoria no Brasil com histórico tão consistente de acerto em suas recomendações de investimento aos clientes.

Aqui cito apenas exemplos mais contundentes. Poderia perder um bom tempo dando outros exemplos, mas o objetivo da minha mensagem não é esse, sequer temos tempo para isso.

O importante é agora. O que está por vir.

Vou repetir um quesito pra deixar bem claro: tem muita gente achando que já estamos no momento de recuperação.

Principalmente porque, depois da maior baixa diária em mais de 20 anos, o Ibovespa está vindo de consecutivos pregões positivos no mês de abril.

Mas não se iluda.

A aparente melhora do mercado, recuperando quase 20 mil pontos após o maior histórico de circuit breakers da nossa Bolsa, não nos permite baixar a guarda, como se já estivéssemos superando a crise.

E chegou o momento de eu abrir pra você um estudo exclusivo que fizemos aqui dentro da Empiricus.

Eu, os mais de 30 especialistas da minha equipe e, preciso dizer, especialmente e magistralmente, meu assistente Matheus Spiess, paramos por semanas pra estudar o comportamento das crises mundiais anteriores.

E o resultado desse estudo precisa ser repassado a você.

Preste bastante atenção nas imagens a seguir...

Neste primeiro momento, se atente somente às linhas vermelhas:

Fonte: Dynamic Traders

Você identificou algo em comum entre elas?

Uma espécie de padrão de comportamento em relação à sequência de movimentos de alta e de baixa?

Esses são os gráficos de todos os bear markets mundiais, usando os gráficos da americana Dow Jones como exemplo, começando pelo primeiro, no século 20.

Eu disse todos os bearmarkets. Sem exceção.

Então, o que tiramos de conclusão desses gráficos é que:

Em 100% dos bear markets históricos, os fundos anteriores são testados ou ultrapassados novamente, ao menos uma vez.

Veja novamente o gráfico de um Bear Market clássico, de 1929:

Observe que temos 3 fases.

A primeira é o rápido declínio. A queda aguda.

A segunda é um repique… uma leve recuperação, ou o que também podemos chamar de "Bull Trap" ou "Bear Market Rally". Ou seja, uma alta meio enganosa, como uma armadilha aos otimistas.

É nesse momento que muitos iludidos pensam estar vivendo a recuperação estrutural.

Então, vem a terceira fase, em que se testa ou até supera a mínima anterior, despencando novamente.

Agora, apenas para efeito de comparação, vamos projetar na nossa Bolsa esse mesmo padrão:

Tivemos aqui a primeira fase, o início do declínio no fim de fevereiro, quando as notícias do coronavírus e a potencial guerra de preços do petróleo começaram a preocupar:

Fonte: Economatica

Caímos então até os 63 mil pontos, no dia 23 de março, atingindo a mínima história dos últimos 4 anos.

Fonte: Economatica

Encerrada a primeira fase, começamos a subir…

Desde março até o meio de abril, subimos quase 20 mil pontos.

Será que agora estamos beirando a terceira fase de um bear market clássico?

Podendo cair de volta aos 62 mil pontos ou até menos que isso?

Se o histórico se mantiver, sim.

Entenda, eu não estou afirmando que vamos voltar necessariamente aos 62 mil pontos ou cair ainda mais do que isso.

Estudamos o passado somente para entender o presente e, quem sabe, projetar caminhos futuros possíveis.

Trago esse estudo apenas para te mostrar que a probabilidade de um novo fundo ser testado é alta.

Em 100% dos bear markets anteriores isso aconteceu.

A pergunta que qualquer investidor deve se fazer é:

Será que agora vai ser diferente dos últimos 14 bear markets que tivemos em mais de 100 anos?

Outra pergunta, ainda mais importante:

O que acontece com o seu patrimônio se um novo fundo for testado?

Você está preparado pra ficar mais 2 meses em casa vendo seu patrimônio se dilacerar?

Olha… eu não tô de forma alguma querendo fazer terrorismo. Longe disso.

Eu tô querendo te fazer pensar no seu dinheiro com responsabilidade.

O momento não é de sair comprando qualquer coisa na Bolsa.

Eu já te mostrei que, em momentos de queda, quanto mais você minimizar a sua perda melhor.

E eu estou aqui justamente pra te ajudar nisso.

Já te fiz uma proposta: vou me comprometer com os seus resultados nos próximos 12 meses.

Nós vamos buscar minimizar o impacto do bear market em seu patrimônio e aproveitar as oportunidades de lucros quando o mercado virar.

Isso significa que vamos acertar o timing exato de virada?

100% de sinceridade? Se fizermos isso, será por mera sorte.

Como eu disse, é impossível acertar exatamente o topo e o fundo.

Mas é o que vamos buscar.

Em setembro de 2015, eu assumi a virada de mão, indicando o aumento da posição em Bolsa aos meus leitores.

Naquele momento, vindo de uma queda dos 57 mil pontos, o Ibovespa se encontrava no patamar de 45 mil pontos.

Em janeiro de 2016, caímos aos 37 mil pontos.

E, então, iniciou-se o quinto grande ciclo de alta.

Eu não acertei exatamente o timing.

Começamos a comprar aos 45 mil pontos e compramos mais aos 37 mil

Mesmo assim, quem seguiu minhas indicações ali viu seu patrimônio se multiplicar duas vezes, três vezes, cinco vezes em alguns casos, como com as ações de Rumo, com +397% numa operação já fechada:

E, lembrando, isso logo após a mais brutal recessão da era republicana brasileira até então, em que meus leitores dobraram parte de seu patrimônio com a indicação de compra de dólar:

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Uma imagem contendo texto, mapaDescrição gerada automaticamente

Aqui eu preciso fazer uma confissão.

Com os dois pés no chão e sempre me beliscando para lembrar da humildade e da autocrítica:

Esse foi o maior acerto da minha vida.

O maior acerto da história da Empiricus.

Alertamos nossos leitores para a recessão de 2014, protegendo o patrimônio de milhares de família e, depois, viramos a mão para o que viria a ser o quinto grande ciclo de alta, indicando a compra de ações que duplicaram, triplicaram, quintuplicaram de valor.

E que, mesmo com a queda brutal das últimas semanas, seguem praticamente quadruplicando o patrimônio de quem acompanha desde o começo:

Mapa com linhas pretas em fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Quem seguiu nossas indicações desde aquela época nos envia mensagens até hoje agradecendo:

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamenteTela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Dito tudo isso, agora, preciso colocar em palavras mais diretas o que estou enxergando para os próximos dias, semanas e meses.

Minha visão está intimamente ligada à proposta que te fiz e que vou te detalhar em questão de instantes:

Eu acredito que o momento ainda exige proteção.

Por isso, eu quero que o seu foco, no momento, seja de cautela.

Eu realmente acredito que as coisas ainda podem piorar, e devemos estar preparados para o pior.

A recuperação virá. Isso é um fato.

Precisamos minimizar o impacto da queda pra depois, aumentar sua exposição em Bolsa, em busca de lucros brutais.

Se pegarmos a crise de 2008 como exemplo, veja só alguns dos ganhos que surgiram de março a dezembro de 2009, quando começou a retomada do crescimento:

Em questão de 9 meses, algumas ações quintuplicaram o capital de quem nelas investiu.

A vigésima quinta do ranking mais que triplicou.

É isso que vou buscar fazer na sua vida.

Portanto vamos lá…

Qual a minha proposta para proteger o seu patrimônio e buscar os maiores lucros possíveis com a retomada da economia?

Em primeiro lugar, vamos introduzir a ideia de Asset Allocation em sua vida.

É a alocação de portfólio, ou seja, olhar pro seu patrimônio de forma completa, ativos caminhando juntos, e não exposição a um ou outro ativo.

O erro das pessoas é comprar dólar quando estão pessimistas e comprar Bolsa quando estão otimistas.

A diferença entre remédio e veneno é a dosagem.

Portanto, tem que ter de tudo, a arte está em quanto ter de cada um.

Agora, estamos com pouco de Bolsa e bastante de proteção.

No momento em que julgarmos ser o certo, diminuiremos proteção e aumentaremos Bolsa.

E é essa ideia que quero implementar pro seu dinheiro a partir de hoje.

Nesse sentido, a forma concreta de eu te ajudar é você me acompanhar na série Palavra do Estrategista.

O Palavra é a série que define a Empiricus.

É a série que eu dedico maior parte do meu tempo.

Porque além de ser uma porta de entrada da pessoa comum ao mundo dos investimentos, é também a série onde eu não meço esforços para PROTEGER e MULTIPLICAR o patrimônio dos meus leitores.

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Tela de celular com texto preto sobre fundo brancoDescrição gerada automaticamente

Eu quero que o próximo a me mandar uma mensagem como essa seja VOCÊ.

Portanto, vamos aos finalmentes...

Qual a minha proposta?

É bem simples:

Em primeiro lugar, você tem 7 dias de degustação livre pra acessar a série sem assumir compromisso financeiro algum conosco.

Sim, você pode entrar agora, e descobrir o nome de cada ativo, cada ação, cada proteção que indico aos mais de 100 mil assinantes do Palavra.

E também como eu sugiro que você distribua esses investimentos no seu portfólio.

É um direito seu entrar agora e ver absolutamente tudo sem compromisso algum.

Além das indicações práticas de investimento, a série Palavra do Estrategista também te dá direito a:

+ Publicação exclusiva: Oportunidades de uma vida, onde eu revelo as ações para se ter no momento.

+ Aula especial em vídeo: Como montar um portfolio e tomar conta da sua carteira de investimentos.

+ Publicação de Acompanhamento Pessoal Quinzenal

+ Passo a passo de como abrir conta em algumas corretoras - e, lá dentro, como você pode encontrar algumas aplicações que vou abordar.

+ Grupo Exclusivo no Telegram, para eu te passar com mais agilidade qualquer notícia relevante e como agir diante dela.

Uma coisa te afirmo com tranquilidade: tudo que eu poderia fazer de melhor pela sua vida financeira, eu faço aqui. Nada menos que isso.

Isso tudo será seu por 7 dias sem compromisso.

Agora, em segundo lugar, a minha proposta também coloca a minha pele em jogo pelos seus resultados.

Eu te disse desde o início que faria isso, portanto vai funcionar assim:

Se no final dos próximos 12 meses o resultado da alocação que eu vou passar pra você for negativo - ou seja, você seguir minhas instruções à risca e a sua carteira de investimentos estiver acumulando perda - eu me comprometo a te devolver integralmente o dinheiro gasto para fazer parte do Palavra do estrategista e ainda manter a sua assinatura Palavra do Estrategista PARA SEMPRE. Com todos os custos arcados pela Empiricus.

Veja bem.

Você tem duas possibilidades aqui:

Ou você ganha dinheiro com a assinatura Palavra do Estrategista nos próximos 12 meses...

Ou eu me comprometo a te devolver o dinheiro gasto comigo e manter seu acesso de graça pelo resto da vida.

Ou seja, vamos trabalhar de graça para você pelo resto da vida.

Abrindo mão de receita da nossa empresa e te entregando para sempre nossa série mais completa e exclusiva.

Combinado?

Ótimo.

O momento é muito importante.

Vai entrar pra história da Empiricus e espero que entre para a sua também.

E quanto vai custar o ingresso a todo esse conteúdo?

Olha, eu preparei algo realmente pra mudar a sua vida financeira.

Te proteger no pior cenário.

Te enriquecer no melhor cenário.

O valor do que tô te entregando é difícil de mensurar.

Mesmo assim, vou tentar te fazer uma proposta irrecusável:

Por isso… o acesso ao Palavra do Estrategista, com o passo a passo e instruções de como se proteger de uma possível nova queda...

O acesso à minha carteira de ações, chamada Oportunidades de Uma Vida, para buscar lucros transformacionais com a retomada da economia...

Todos esses materiais especiais que eu preparei…

12 meses de acompanhamento da série Palavra do Estrategista…

Com os 7 primeiros dias de presente…

E ainda o compromisso de te devolver o dinheiro da assinatura e te dar acesso vitalício à minha série caso as minhas instruções de alocação e minha carteira de ações não dêem lucro em 12 meses….

Tudo isso vai custar para você:

12x de R$ 5,00

QUERO EXPERIMENTAR POR 7 DIAS SEM COMPROMISSO

Mas atenção: este é um preço absolutamente especial dadas as circunstâncias.

O preço regular em nosso site é de R$ 18 mensais.

É uma oferta única e especial, pois o momento exige nosso maior cuidado com você. Com o seu dinheiro.

Como eu disse de início, aceitar a minha ajuda e conhecer minhas instruções, neste primeiro momento, não te compromete em nada.

Você tem 7 dias pra acessar a série sem assumir compromisso financeiro algum conosco.

QUERO EXPERIMENTAR POR 7 DIAS SEM COMPROMISSO

Eu sugiro fortemente que você ao menos conheça as instruções que passei aos meus leitores.

Trata-se de um negócio estratégico e fundamental para blindar o seu portfólio e atravessar esse momento.

Eu não vou me estender aqui e nem ficar te listando argumentos racionais pra você se convencer de que precisa disso.

Você já viu o quão necessário é minimizarmos as perdas.

Já viu que as altas que surgem com a recuperação transformam vidas.

E já viu que eu me comprometi em estar com você do início ao fim nesse período.

E ainda fiz a melhor proposta possível para você aceitar a minha ajuda.

Agora é com você. Se preciso, tome uns minutos pra refletir.

Só não se esqueça de que altas e baixas acontecem de supetão. Você precisa estar posicionado imediatamente.

Por fim, se você decidir não aceitar minha ajuda, tudo bem.

Ainda assim tenho algumas recomendações:

Haja com responsabilidade.

Depois de muito tempo, há sangue nas ruas.

Você pode se machucar, ou pode usar isso a seu favor.

Cuidado com cada decisão.

QUERO EXPERIMENTAR POR 7 DIAS

Um abraço.

Dúvidas na escolha do plano?

Estamos aqui para ajudar