Saiba como disparar um raio
multiplicador e potencializar em
120 vezes seu lucro com imóveis

Sim, uma oportunidade histórica pode cair no mesmo lugar duas vezes. Então corra! Veja por que o momento é agora.

 

Você já notou a grande quantidade de placas de “Aluga-se” ou “Vende-se” espalhadas por edifícios, postes, ruas e avenidas?

E que algumas dessas sinalizações foram colocadas por imobiliárias diferentes em disputa pela oferta do mesmo espaço?

Você também já percebeu a multiplicação dos e-mails de corretores ávidos por comissões nos “melhores negócios de todos os tempos”?

 

Caro leitor,

Sabe aquele ditado de que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar?

Pois bem: tenho provas contundentes de que essa teoria não se sustenta na prática.

A primeira delas se deve a uma das grandes amigas que conheci através da profissão, a Val.

Em um intervalo de um ano, a Val conseguiu atrair as descargas elétricas nada menos do que duas vezes.

Para nossa alegria, ela escapou ilesa, apesar dos sustos. Mas não de um apelido, no mínimo, curioso.

Val é chamada de Raioval entre os amigos, em um trocadilho com a famosa marca de pilhas.

Preservei o seu nome verdadeiro, a fim de não identificá-la e colocar assim a nossa amizade em risco.

Mas garanto a você que a incrível história dela é real e nos rende boas risadas até hoje.

Agora é a hora de apresentar a segunda prova – e a que pode mudar a sua vida.

Ela vem do mercado imobiliário. E tem muito mais a ver com você.

Por quê? Simples…

1. Ela pode mudar a sua vida para sempre.

Falo de um mecanismo capaz de multiplicar investimentos rapidamente e de garantir retornos extraordinários para você e sua família.

Por isso a metáfora do raio.

 

2. Quem vai dispará-lo e decidir onde ele vai cair é você.

Ninguém mais poderá colocar em prática os efeitos decisivos na formação da sua própria riqueza e na construção de seu patrimônio.

 

3. Trata-se de uma estratégia simples e acessível a todos.

Basta seguir nossas recomendações.

Na prática, os que sabem aplicá-la – ou a aplicam de forma satisfatória em busca de ganhos significativos – são poucos.

Por isso estou aqui: quero garantir que você faça parte desse grupo.

Não há motivo para ficar de fora, perdendo assim algo que pode lhe beneficiar financeiramente.
#
Tenho em minhas mãos o convite que poderá reservar a sua entrada em um seleto grupo de investidores bem-sucedidos.

Mas antes de entregá-lo, chamo você a uma importante e rápida reflexão.

E ela começa por um olhar mais atento à sua volta.

Algo muito perceptível acontece no mercado imobiliário, a ponto de tornar ativos muito mais acessíveis neste momento.

E isso abre uma grande janela de oportunidades para quem compra ou pretende entrar no mercado a fim de disparar os próprios raios.

Já vou dar mais detalhes sobre o convite. Só gostaria de dizer antes que…

 

“A casa caiu”. Melhor para você

 

Os imóveis passam por uma era de ajustes no Brasil.

Após mais de uma década de explosão dos preços, os valores já começaram a cair.

E as restrições maiores de crédito, o aumento do desemprego e a forte diminuição da atividade econômica têm impacto decisivo nisso.

No que me baseio para fazer tais afirmações?

Para começar, tomo como exemplo a trajetória recente da chamada affordability.

Calma. Esse termo é muito simples de ser entendido, apesar do difícil nome em inglês.

Trata-se da capacidade da população em pagar por um ativo, como um imóvel.

Esse indicador cresceu mais de sete vezes desde 2001.

E as incorporadoras souberam captar muito bem esse aumento.

Não por coincidência, os imóveis subiram praticamente na mesma proporção no período.

Mas o importante é observar que, agora, a affordability começou a despencar. E nada menos que -20% em relação a 2014.

Logo, os fundamentos indicam que os valores precisariam seguir a mesma direção.

Ainda que de forma diluída nos próximos meses.

Índices como o IVG-R e o FipeZap reforçam esse panorama.

Ambos sinalizam que, no mínimo, os preços estão em um ritmo que nem de longe lembra o que ocorreu no Brasil entre 2009 e 2011.

O IVG-R é elaborado pelo Banco Central e representa os valores de avaliação de imóveis que foram dados em garantia para empréstimos.

Já o FipeZap mede exclusivamente a trajetória de preços anunciados, não necessariamente os fechados posteriormente no contrato.

Dê só uma olhada no gráfico a seguir.

Fonte: FipeZap e IBGE

 

Fazemos uma comparação entre as variações do índice composto de imóveis anunciados para venda e do medidor oficial da inflação.

Agora me responda: você preferiria ter comprado um imóvel em 2011 ou agora?

Ainda que essa aquisição prematura tenha sido o seu caso, é hora de virar o jogo a seu favor.

Reforço que você não precisa ser um especialista apaixonado por indicadores conjunturais para perceber um cenário intrigante na prática.

Você já deve ter notado algumas das situações a seguir no dia a dia:

1. Nunca se viu tantas placas de “Aluga-se” ou “Vende-se” espalhadas por edifícios, postes, ruas e avenidas.

2. Algumas dessas sinalizações, inclusive, publicadas por imobiliárias diferentes em disputa pela oferta do mesmo espaço.

3. Os saldões de imóveis se multiplicam a cada fim de semana, visando desovar parte dos estoques.

4. Assim como os e-mails de corretores ávidos por comissões nos “melhores negócios de todos os tempos da última semana”.

5. Incorporadoras premium têm apostado em propagandas de apelo muito mais popular na TV a fim de recuperar o fôlego.

6. O número de distratos – rescisões nos contratos de imóveis comprados ainda na planta – aumenta e preocupa o setor.

7. Enquanto isso, ações de incorporadoras tradicionais derretem na Bolsa.

Veja o exemplo da construtora e incorporadora PDG, uma das maiores empresas do setor imobiliário da América Latina.

As suas ações ordinárias (PDGR3) na BM&F Bovespa despencaram mais de 98% nos últimos três anos. É isso mesmo: -98%!

A década passada foi doce para quem investiu em imóveis, em uma primeira grande leva de raios benéficos à sua saúde financeira.

Mas a verdade é que, após anos de bonança, a casa começa a cair – ainda que muito coloquial, a expressão serve muito bem aqui.

E isso significa que há um segundo raio a caminho.

 

Aí você me pergunta: como eu ganho com isso?

 

Para começar, encontrar ativos mais baratos e pechinchas torna-se mais fácil nesse cenário.

Tudo isso apesar da resistência natural dos proprietários em baixar os preços.

Sem falar que a tendência de busca por liquidez no difícil momento da economia no país levará alguns deles a se desfazer de imóveis.

E o principal: ainda que em condições muito menos favoráveis que nos últimos anos.

Logo, se você já investe em imóveis ou mesmo pretende fazer a sua primeira incursão na área, este momento pode ser o ideal.

Janelas de oportunidade como essa não surgem toda hora.

E quando surgem não costumam ficar abertas por muito tempo.

Por isso, no cenário atual, ficar parado pode custar caro às suas futuras gerações.

Principalmente com relação à construção (ou à ausência de) patrimônio.

“Mas o momento da economia não ajuda!”, você argumenta.

Olha, que a economia vai muito mal no Brasil não é segredo para ninguém.

O que talvez o seja é justamente o fato de que você pode construir um portfólio milionário mesmo sob condições gerais adversas.

Aliás, isso tudo ganha força em condições adversas.

Continue comprando ao som dos canhões e vendendo ao som dos violinos.

Muitos desconhecem as oportunidades únicas que o cenário atual oferece.

E não, não sou catastrofista ou mesmo adepto da teoria do “quanto pior, melhor”.

Afinal, todos sentem as consequências de uma atividade econômica em queda livre, do desemprego crescente e do enxugamento do crédito.

Mas não é possível ignorar também que, se você estiver preparado, pode colocar a mais forte das tempestades no bolso.

E com direito a muitos raios. Na alta ou na baixa. Com crise ou sem crise.

Digo isso também porque reclamar da vida e não fazer nada para transformá-la está longe de ser uma solução.

Costumo recorrer em momentos como esse às eficazes estratégias do megainvestidor Warren Buffett.

O terceiro homem mais rico do mundo no ranking da Forbes tem uma receita de sucesso quando o assunto é crise. Ele garante:

“Seja audacioso quando os outros estão com medo e
tenha medo quando os outros estão audaciosos”

As incorporadoras, por exemplo, não vão ficar enforcadas pelo resto da vida…

Algumas delas já estão aproveitando, inclusive, esse momento histórico.

Veja só o que um grande executivo filho do dono de uma incorporadora disse recentemente em visita ao escritório da Empiricus:

“Nunca vi meu pai tão animado quanto agora. Estamos comprando terrenos a preços muito convidativos.”

Planejar uma volta ao mercado apenas em 2017, por exemplo, pode definir o seu fracasso.

Isso porque você terá pela frente um ambiente muito mais competitivo e com oportunidades mais escassas.

 

Você já consegue ouvir o estrondo provocado pelo raio multiplicador no seu patrimônio?

 

Dito tudo isso, hora e vez de retornarmos ao nosso raio multiplicador.

Ou efeito multiplicador na gestão ativa de propriedades para aluguel, em termos mais especializados.

O seguinte quadro simboliza de forma mais objetiva o que estou afirmando.

Agora acompanhe o meu raciocínio.

E veja como ideias e conceitos simples podem fazer toda a diferença na construção de sua riqueza.

Antes de mais nada, esclareço que há uma referência chamada gross yield que precisa ser levada em conta aqui.

É uma base importante para o cálculo de rendimentos para negociações de propriedade para aluguel, e que fica próxima de 10% ao ano em imóveis comerciais.

O yield desejado pelos proprietários não é algo arbitrário.

Possui monitoramento no mercado, com acompanhamento de pesquisas de instituições como a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Por fim, falamos de uma fórmula básica que pode ser compreendida da seguinte forma:

O gross yield será equivalente ao resultado da divisão
entre o aluguel anual pelo valor total do imóvel.

Vamos a um exemplo prático: tome o caso do aluguel mensal de um imóvel comercial e que custa R$ 1.000, atingindo um total de R$ 12 mil por ano.

Com yield de 10%, você chega a um valor considerado justo pelo mercado de R$ 120 mil caso pretenda vendê-lo.

Esse montante é considerado no mercado o ponto de liquidez para atrair o investidor.

Lembro que esses números baixos são apenas para que você
consiga ter uma ideia melhor do raio multiplicador.

E é aí que começa justamente a sua ação.

Uma das hipóteses é de que isso pode ser feito por meio de modificações no imóvel para incrementar o fluxo de caixa.

Mas calma. Não estou falando que necessariamente você terá de investir em uma reforma.

Às vezes encolhemos os ombros só de imaginar o ruído da quebradeira.

O raio multiplicador não incidiria apenas sobre reformas ou outras melhorias similares no imóvel a fim de valorizá-lo.

Pode se dar também com a economia gerada em algum processo.

Ou mesmo por meio da substituição de um financiamento mais caro por outro mais barato, através da portabilidade.

Pois bem, vou dar um exemplo bem simples: imagine que você conseguiu adicionar o valor de R$ 100 ao preço do aluguel repintando parte da parede de uma sala do escritório.

Logo, ao fim de um ano, você terá acumulado R$ 1.200 a mais no valor total do aluguel.

E esses R$ 100 a mais por mês vão impactar na valorização do imóvel para sempre.

Para se ter uma ideia do poder desse raio, digo que ele é capaz de transformar esses R$ 100 investidos – ou economizados – no fluxo de caixa em nada menos do que R$ 12 mil no exemplo acima.

Explico.

No novo cálculo do valor total do imóvel, após a pequena valorização mensal, e com os 10% do gross yield, chegamos a uma adição de R$ 12 mil de valor.

Sem contar que você dispara esse raio quantas vezes quiser, e por quantos imóveis quiser.

Da mesma forma que cada R$ 100 se tornam R$ 12 mil, R$ 5 mil podem se tornar R$ 600 mil. E daí por diante.

A cada ciclo de repetição do raio multiplicador, o seu patrimônio pode crescer ainda até 30% ao ano, podendo atingir uma diferença de milhões de reais.

Aproveito para reforçar também que você pode potencializar também retornos em 120 vezes com a forma de distribuição das despesas mensais ou tributos.

Um condomínio que acaba ficando mais barato, por exemplo, abre espaço para uma valorização do aluguel para o proprietário.

Pois para o inquilino só interessa o valor total. Já para você, cada diferença pode contar muito no bolso com o raio multiplicador.

Um exemplo prático: para um inquilino, aluguel de R$ 1.000 + condomínio de R$ 500 é igual a aluguel de R$ 1.250 com condomínio de R$ 250.

Para o inquilino, tanto faz. Nos dois casos ele vai pagar R$ 1.500 todo mês.

Contudo, para você, essa mudança é a oportunidade de valorizar em R$ 30 mil o valor do seu imóvel.

Isso mesmo, um aumento de R$ 250, com o raio multiplicador, proporciona R$ 30 mil a mais no seu patrimônio.

Não se trata de uma fórmula mágica, e sim de pura matemática financeira.

E aprender a fazer isso, além de muitos outros cálculos para ganhar dinheiro com imóveis, só depende de você.

Afinal, estou certo de que posso ajudá-lo.

Seja na aplicação do raio multiplicador ou mesmo em busca da realização do sonho da casa própria.

Porque vivemos em uma era em que a informação é uma arma poderosa.

E o modo como você reúne, administra e usa a informação determina se você vai vencer ou perder.

Essa frase, aplicada ao mundo corporativo por Bill Gates no livro “A Empresa na Velocidade do Pensamento”, certamente serve para você.

Recebi nos últimos meses, por exemplo, incontáveis desabafos de leitores que diziam viver em meio a um fogo cruzado, sem saber o que fazer.

De um lado, construtoras e imobiliárias repetiam que um imóvel nunca se desvalorizava.

Do outro, reportagens sensacionalistas alertavam para um iminente estouro de uma bolha, com desabamento imediato dos preços.

E os leitores ali, bem no olho do furacão.

Mas afinal, em quem acreditar em momentos como esses a fim de tomar a melhor decisão para a sua saúde financeira?

Para começar, em alguém independente.

Porque você não compraria um remédio com base no que diz um representante comercial da indústria farmacêutica, não é verdade?

A Empiricus é a primeira casa de análises independente do Brasil.

Todas as nossas recomendações são amparadas em estudos financeiros e econômicos, privilegiando uma linguagem simples e direta.

Por isso me sinto tão bem em dizer que você não precisa ser um especialista para fazer investimentos e obter retornos em imóveis.

E o mais importante: garanto que os meus materiais não têm outra motivação a não ser ajudar você.

Tanto que publiquei dois relatórios que certamente podem contribuir muito para a sua criação de riqueza.

Em meio ao fogo cruzado e à confusão diária provocada por milhares de informações ao mesmo tempo na mídia, nós oferecemos:

“Manual de Sobrevivência no Mercado Imobiliário (Partes I e II)” e “Um novo Patamar em Negócios Imobiliários”.

Veja o caso do Nelson, que conseguiu se ajustar financeiramente e, de quebra, se tornou um investidor do setor imobiliário.

“Oi, Marcio! Nunca imaginei que ganharia dinheiro com imóveis. Mas graças aos seus ensinamentos ajustei a minha vida financeira e passei a sonhar muito além da primeira casa própria.”

Nelson F.

Assim como ele, a Camila e o Denis conseguiram evitar dores de cabeça que poderiam durar toda uma vida, seja ao evitarem negócios duvidosos ou partindo do zero.

“Olá, Marcio. Graças ao seu conselho eu caí fora de uma fria para investir num hotel que me faria perder dinheiro. Indispensável.”

Camila J.

“Quero te agradecer. As newsletters são de uma qualidade impressionante – digo como alguém que tem aprendido muito sobre imóveis, e partindo do zero!!! Muito obrigado!!!”

Denis V.

 

Estou certo de que pode acontecer com você o que aconteceu com o Denis. Ou com a Camila e o Nelson.

Tanto que já tenho agora em mãos aquele convite de que falei para fazer parte de um seleto grupo de investidores bem-sucedidos.

Todos eles acompanham os meus vídeos e relatórios.

Trata-se da garantia do seu acesso a uma fonte valiosa de estratégias que podem separar um bom investimento de algo que lhe trará dores de cabeça para sempre.

Falo da série Valor Imobiliário. Você não vai encontrar um produto similar no mercado.

Ele custa R$ 15,00, mas estamos com uma promoção única e especial para você que recebeu esta mensagem. E cuja validade é por tempo limitado!

Assinando agora você adquire o Valor Imobiliário por apenas R$ 12,00 ao mês! Ou menos de R$ 0,40 por dia.

Cá entre nós: você se lembra de ter adquirido algo mais barato em benefício do seu patrimônio nos últimos anos?

Portanto, não perca tempo.

Até porque você ainda recebe como cortesia pela assinatura um vídeo mensal com 20 respostas às dúvidas enviadas pelos leitores.

E, de quebra, tem acesso também ao guia As 7 Regras Fundamentais para Lucrar com Imóveis.

Como se não bastasse, garante a leitura do conteúdo semanal – apenas para assinantes – da newsletter Finanças Pessoais, da Empiricus.

Nela você terá acesso às melhores formas de construir riqueza, viver bem e investir, não só em imóveis.

 

Os benefícios são tantos, e por tão pouco, que decidi resumi-los para você:

  • Relatórios mensais da série Valor Imobiliário
  • O guia As 7 Regras Fundamentais para Lucrar com Imóveis
  • Vídeo mensal com 20 respostas às dúvidas dos leitores
  • Acesso ao conteúdo semanal PRO
  • Cláusula Empiricus de 20 dias de degustação reembolsáveis

Acompanhe-me nessa incursão que pode mudar a sua vida para sempre.

 

 

Seja muito bem-vindo!

Marcio Fenelon

Informações Importantes:

Os conteúdos da Empiricus visam informar sobre possibilidades de lucro financeiro sugeridas na forma de diferentes estratégias de investimento, eximindo-se a empresa de qualquer responsabilidade sobre eventuais prejuízos do cliente em decorrência da tomada de decisão deste. Embora a Empiricus forneça recomendações pontuais de investimento, fundamentadas pela avaliação criteriosa de especialistas certificados, não se pode antecipar o comportamento dos mercados com exatidão. Padrões, histórico e análise de retornos passados não garantem rentabilidade futura. Todo investimento financeiro, em maior ou menor grau, embute riscos que podem ser mitigados mas não eliminados. A Empiricus alerta para que nunca sejam alocados em renda variável aqueles recursos destinados a despesas imediatas ou de emergência, bem como valores que comprometam o patrimônio do cliente. A empresa não realiza intermediações financeiras, por conseguinte não obtém nenhum tipo de receita advinda de comissões, corretagens ou emolumentos sobre montantes aplicados, delegando ao investidor a exclusiva responsabilidade pela execução de operações junto à respectiva instituição financeira na qual possua conta aberta. Para assegurar a imparcialidade na avaliação dos investimentos, a Empiricus não recebe patrocínios nem veicula publicidade que não a de seus próprios produtos/serviços. Pessoas que têm dificuldades com limites devem procurar aplicações mais estáveis, como a renda fixa. A título de elevação dos padrões fiduciários e promoção das melhores práticas do mercado, os sócios da Empiricus têm, ou podem vir a ter, posições nos investimentos recomendados. A presente nota não se sobrepõe à legislação e regulamentação vigentes.


A Empiricus foi fundada em 2009 com um objetivo: levar recomendações independentes e de qualidade para a pessoa física.

Hoje, nossa equipe conta com mais de 150 colaboradores. Afinal, somos uma empresa de pessoas e produzir conteúdo relevante para a sua vida financeira não é tarefa fácil.

Mas a Empiricus não é apenas a sua equipe, somos os mais de 160 mil assinantes dos relatórios. Para conhecer algumas dessas histórias, acesse http://www.empiricus.com.br/depoimentos

Se quiser saber mais sobre a Empiricus, acesse nosso site em www.empiricus.com.br ou envie um email para research@empiricus.com.br.

Empiricus Consultoria & Negócios
CNPJ 11.431.155/0001-07
Copyright © 2009 – 2017


Rua Joaquim Floriano, 913 – CEP 04534-013
Itaim Bibi – São Paulo – Brasil

Central de Vendas
Telefone(s): 4003-5120 | 4003-3117 (ligação local)
E-mail: vendas@empiricus.com.br

Relacionamento com o Cliente
Telefone(s): 4003-5130 | 4003-3118 (ligação local)